Fone: (48) 3733-6977 | redacaofloripa@jornalinforme.com.br

 

Adriano Ribeiro

Adriano Ribeiro

Adriano Ribeiro é colunista do Informe e traz informações sobre os bastidores da política e cotidiano de Caçador e Floripa/São José.
Fones: Caçador (49) 8843-4213 - Florianópolis (48) 9922-8133

E-mail: redacaofloripa@jornalinforme.com.br

Twitter: @adrianoinforme

A Secretaria de Educação de São José convoca, em segunda chamada, os professores ACTs (Admitidos em Caráter Temporário) que atuarão na rede municipal de ensino em 2015. De acordo com o Edital 005/201, a escolha de vagas será realizada nesta quinta e sexta-feira (de 12 a 13 de dezembro), no CEM Antônio Francisco Machado, no bairro Forquilhinha.

Este ano, a previsão é chamar cerca de 600 professores ACTs para trabalhar nas escolas e centros de educação infantil e escolas profissionais. Para organizar o processo, foi montado um cronograma para a escola das vagas, dividido em datas e horários (confira abaixo).

Em caso de dúvida, é só ligar para  (48) 3381-7400.

DATA: 12/02/2015 (quinta-feira)

HORÁRIO

DISCIPLINAS

08h00min

Auxiliar de Sala

08h00min

Professor – Artes

08h00min

Professor – Geografia

08h00min

Professor – História

09h00min

Professor – Ciências

09h00min

Professor – Matemática

09h00min

Professor – Português

10h00min

Auxiliar de Ensino – Educação Infantil

10h00min

Auxiliar de Ensino – Ensino Fundamental

10h00min

Professor – Educação Especial – AEE

10h30min

Professor – Corte e Costura

11h00min

Professor – Artes Aplicadas

11h00min

Professor – Bordado à Máquina

11h15min

Professor – Corte e Costura – lingerie

11h15min

Professor – Porcelana Fria

11h20min

Professor – Pintura em Tela

11h30min

Professor – Pintura em Tecido

11h30min

Professor – Pintura em Madeira

13h30min

Professor – Educação Infantil

13h30min

Professor – Anos Iniciais/Alfabetização de Jovens e Adultos/ TAS – tempo de aprendizagens.

13h30min

Auxiliar de Ensino – Educação Especial

 

DATA: 13/02/2015 (sexta-feira)

HORÁRIO

DISCIPLINAS

08h00min

Professor – Educação Física

08h00min

Professor – Música – Bandas e Fanfarras – Percussão/Sopro

08h30min

Professor – Música – Coral

09h00min

Professor – Bandas e Fanfarras – Corpo Coreográfico/Linha de frente

 

As famílias cadastradas no benefício da Tarifa Social devem ficar atentas para continuarem dentro dos critérios exigidos para receber o auxílio. Crianças com idade a partir dos 5 anos, que anteriormente não pagavam pelo transporte, precisam estar regularizadas.

Seus responsáveis devem comparecer à Assistência Social para solicitarem a carteirinha da Tarifa Zero para Estudantes. A Pasta está localizada na avenida Mauro Ramos, 224, no Centro.  

O benefício torna o trajeto casa-escola-casa gratuito. A carteirinha é exclusiva do aluno e intransferível. Para outros trajetos, deve ser feita a carteira de Tarifa Social comum. O cadastro deve ser feito pelo responsável, que more na mesa casa, tenha 16 anos ou mais e que possa responder às perguntas do cadastro.  

 



Novos cadastros


A Tarifa Social e o Passe Livre para estudantes ainda está disponível nos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS). Esse é um benefício socioassistencial exclusivo para as famílias com renda de até três salários mínimos ou renda individual de até meio salário mínimo.

Para os beneficiários, o valor da passagem de ônibus será R$ 1,85 e para os estudante o trajeto é gratuito. A inscrição é realizada através do Cadastro Único no CRAS mais próximo de sua residência. Para efetuá-la é necessário que cada membro da família leve os seguintes documentos:

  • Moradores na mesma casa (acima de 18 anos)


- Certidão de nascimento;
- CPF;
- Carteira de Identidade (RG);
- Contra cheque e Carteira de Trabalho (mesmo sem estar assinada);
- Título de Eleitor;
- Comprovante de residência atualizado e original;
- Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI); (se necessário)

  • Moradores na mesma casa (0 a 17 anos)


- Certidão de nascimento;
- Atestado de Frequência Escolar (atualizado 30 dias);
- Carteira de Vacinação

Em 2006, o Ministério da Educação determinou que todas as escolas públicas e particulares deveriam aderir ao sistema de ensino de nove anos. Em Florianópolis, as mudanças começaram no ano seguinte, com alunos sendo matriculados no 1º ano com seis anos, ao invés de sete.

A partir desta quarta-feira (11), início do ano letivo na rede municipal de Florianópolis, mais de 2 mil estudantes cursarão o nono ano, finalizando o período de implantação da orientação federal.

A medida foi tomada com o objetivo de melhorar a qualidade da educação básica. Com a nova estrutura, o aluno ingressa mais cedo no sistema de ensino, tendo assim um período mais longo para adquirir domínio da leitura, da escrita e do cálculo.

Os estudantes também passam a ter mais tempo para a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores que fundamentam a sociedade.

Os três primeiros anos correspondem ao bloco inicial de alfabetização, e os 4º e 5º, aos anos intermediários. Por fim, abrangendo do 6º ao 9º ano, estão os anos finais.

Para o secretário de Educação de Florianópolis, essa transformação é importante para o crescimento intelectual da criança. Rodolfo Joaquim Pinto da Luz acrescenta que aumentar a escolaridade no ensino fundamental é uma tendência mundial, que virou realidade em vários países da América do Sul.

 

Turmas

 

Ao todo são 2.027 estudantes que frequentarão a última etapa do ensino fundamental. Eles estão distribuídos em 24 turmas no período matutino, 35 no período vespertino e duas turmas em tempo integral.

Das 25 escolas básicas do município com anos finais, a unidade com mais vagas no nono ano é a Escola Básica Municipal Maria Conceição Nunes, no Rio Vermelho. São 175 no total. Em seguida, estão as escolas Intendente Aricomedes da Silva, na Cachoeira do Bom Jesus, Professora Herondina Medeiros Zeferino, nos Ingleses, Batista Pereira, no Alto Ribeirão, e Brigadeiro Eduardo Gomes, no Campeche, com 140 vagas.

 

Entenda a implantação do 9º ano

 

Em 9 de janeiro de 2001, houve a aprovação do Plano Nacional da Educação -Lei nº 10.172. No que se refere ao ensino fundamental, a Meta 02 do plano previa “ampliar para nove anos a duração do ensino fundamental obrigatório, com início aos seis anos de idade (...)”.

A Lei nº 11.274, de 6 de fevereiro de 2006, alterou a LDB (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira) e ampliou o ensino fundamental para nove anos de duração, com a matrícula de crianças de seis anos de idade. Estabeleceu igualmente o ano de 2010 como prazo limite de implantação das novas regras:

 Art. 3o O art. 32 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, passa a vigorar com a seguinte redação:

Art. 32. O ensino fundamental obrigatório, com duração de 9 (nove) anos, gratuito na escola pública, iniciando-se aos 6 (seis) anos de idade, terá por objetivo a formação básica do cidadão, mediante:" (NR)

 Art. 4o O § 2o e o inciso I do § 3o do art. 87 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, passam a vigorar com a seguinte redação:

"Art. 87 (...)§ 3o (...)I – matricular todos os educandos a partir dos 6 (seis) anos de idade no ensino fundamental.

 

O que diz o Conselho Municipal de Educação

 

Como consequência da política nacional, o Conselho Municipal de Educação de Florianópolis elaborou a Resolução 01/2010, que fixou normas para o ensino fundamental de nove anos da rede municipal de ensino da Capital.

Pela resolução, o ensino fundamental é de matrícula obrigatória para os estudantes a partir de seis anos completos até o dia 31 de março do ano de ingresso, e aos estudantes que completarem sete anos de idade até dezembro do mesmo ano.

Conforme ainda a resolução, os estudantes que em 2006 já estavam matriculados e cursando o ensino fundamental regular de oito anos, continuariam seus estudos na matriz curricular dessa modalidade. A medida foi válida até a extinção total em 2014 dessa categoria.

O Conselho Municipal de Educação reforçou na resolução que o ensino de nove anos teria a idade correspondente e nomenclatura que segue:

 

a) 1° ano - 6 anos

b) 2° ano - 7 anos

c) 3° ano - 8 anos

d) 4° ano - 9 anos

e) 5° ano - 10 anos

f) 6° ano - 11 anos

g) 7° ano - 12 anos

h) 8° ano - 13 anos

i) 9° ano - 14 anos

A 22ª edição do concurso Pop Gay está com as inscrições abertas até o dia 13 de fevereiro, na Secretaria de Turismo, das 13 às 19  horas. As inscrições serão recebidas também no próprio dia do evento (16), a partir das 20 horas e até uma hora antes do início. 

Os participantes do concurso que irá eleger a Beauty Queen - a mais elegante - e a Drag Queen, a mais caricata, não poderão apresentar em suas fantasias conotações políticas, grifes ou logotipos de patrocinadores e utilizar materiais tóxicos ou inflamáveis. Também não levar durante a apresentação crianças ou animais.

A Beauty Queen será julgada pelos seguintes critérios: beleza, fantasia e desfile. Já a Drag Queen, pela fantasia, caracterização e desfile. Cada categoria será premiada com faixa, troféu e o valor de R$ 3.000,00.

A Hors Concours deste ano é a Beauty Queen de pseudônimo Maria Eduarda Venturini, que receberá faixa e troféu durante o evento.

O concurso terá início às 23h45 na avenida Paulo Fontes. O encerramento contará show nacional da cantora Wanessa Camargo.

O prefeito Cesar Souza Junior decretou ponto facultativo no âmbito da administração municipal nos dias 16 e 17 de fevereiro de 2015 (segunda-feira e terça-feira de Carnaval), nos órgãos da Administração Direta e Indireta do Município.

 Além do ponto facultativo nas respectivas datas comemorativas das festividades carnavalescas, o decretto 14.042 estipula que no dia 18 de fevereiro (quarta-feira) o expediente terá início às 13 horas em todos os órgãos e secretarias do Município.

 

Policiais Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT), do 7º Batalhão de Polícia Militar (BPM), apreenderam um adolescente que realizava tráfico de drogas, na rua Cyrino Justino da Silva, bairro Forquilhinhas, em São José.

Os policiais realizaram uma campana no local, quando viram o adolescente realizando tráfico de drogas. Os policiais se aproximaram, para realizar a abordagem, quando viram o adolescente dispensar algo no chão. O adolescente, de 14 anos, jogou no chão 262 pedras de crack (aproximadamente 36 gramas), 24 petecas de cocaína (aproximadamente 13 gramas) e R$ 445,00 em dinheiro (em diversas notas).

O adolescente e o material apreendido foram encaminhados à Delegacia de Polícia de Proteção à Mulher, Criança, Adolescente e Idoso (DPCAMI) de São José.

Na sessão desta segunda-feira (9) da Câmara de Florianópolis, o vereador Ricardo Camargo Vieira (PCdoB) solicitou ao presidente Erádio Manoel Gonçalves  (PSD) que fosse retirado o projeto que altera o código de posturas do Município em relação a exigência da implantação de câmeras de videomonitoramento em abrigos especializados em pessoas idosas.

O projeto deveria ser votado nesta segunda, porém, entendeu o vereador que o projeto não poderia ir à votação porque não tramitou na Comissão de Saúde. O presidente atendeu a solicitação e apresentou um requerimento retirando da pauta o referido projeto.

Vieira argumentou que o projeto é de imensa valia, para evitar maus tratos. “A intenção não é o controle da pessoa que utiliza esses ambientes, mas dar suporte a todos. A falta de trato e violência contra a pessoa idosa geralmente se dá por pessoas cuidadoras”, comentou, salientando que uma melhor análise na Comissão de Saúde será salutar para aperfeiçoar a matéria.

 

 

Água

 

O vereador Vanderlei Farias, o Lela, do PDT, comentou na sessão da Câmara de Florianópolis, desta segunda-feira (9), que em relação a anos anteriores, em época de temporada de verão, o fornecimento de água melhorou na grande Florianópolis. Ele aproveitou para elogiar a Casan.

 

Terno de Reis

 

Lela também usou a tribuna para criticar a Secretaria Municipal de Cultura. Ele disse que há 17 anos é realizado nos meses de janeiro, de forma ininterrupta, o evento Terno de Reis na Capital. “Por que não foi realizado neste ano então”, criticou. Ele cobrou mais dedicação dos titulares da pasta e ponderou também que as festas do Divino também estão deixando à desejar.

 

Contra o empreendimento da Ponta do Coral

 

O vereador de Florianópolis, Lino Peres (PT) criticou a implantação do empreendimento de lazer na Ponta do Coral. Segundo ele, a Câmara aprovou um imóvel de seis pavimentos e o projeto apresentado aponta para 18 pavimentos. “A prefeitura passou por cima desta Casa”, reclamou. Ele disse que o imóvel está sendo implantado de forma irregular a partir de um projeto monopolista que apropria-se da paisagem daquela região. Ele argumentou que não está conseguindo ter acesso a documentos sobre o empreendimento e vai tentar os conseguir na Justiça.

 

Escolas precárias

 

Já o vereador do PMDB, Célio João, teceu pesada crítica contra os representantes da Secretaria Municipal de Educação. Disse que existe um calendário escolar definido e mesmo assim as aulas na rede municipal retornaram com as escolas em situação precária. “É um absurdo. As unidades escolares estão muito piores que antes das férias”, disse. Ele classificou o quadro como mais preocupante pelo fato de não se tratar de um secretário novo na pasta, mas alguém que já conhece muito bem o setor e poderia fazer um trabalho melhor. “Está sendo reempossado no cargo e está assim. Convidamos para reuniões e ele não tira o corpo da caderia para não dizer outra coisa”, finalizou.

O vereador do PSD Renato Geske saiu em defesa da diretoria da Companhia de Melhoramentos da Capital (Comcap), que foi alvo de ataques na imprensa nesta segunda-feira (9). Na sessão ordinária da Casa Legislativa desta tarde, ele ressaltou que as notícias negativas devem ter origem na postura da nova diretoria que vem saldando dívidas e reduzindo os custos de manutenção. “Isso parece não agradar alguém”, falou, salientando que somente em compras de peças a economia já chega a 38%.

Ele foi aparteado pelo vereador Thiago da Silva (PDT) que afirmou que os órgãos de fiscalização das contas públicas como o Tribunal de Contas e Ministério Público ainda não se manifestaram, então, há que se aguardar. “Antecipar o denuncismo e o achismo é ruim para a democracia”, ponderou o vereador. Silva ainda critiou que aquele que denuncia na TV, geralmente tem que provar.

 

Lei das Licitações e obras públicas na Capital

 

O vereador Thiago da Silva (PDT) ainda foi mais amplo no seu comentário. Criticou que a gestão pública precisa evoluir. “Não sei se não é o momento de aperfeiçoar a lei das licitações”, falou, referindo-se a lei 8.666, que norteia o processo de compras publicas.

Para embasar seu comentário citou os casos de grandes obras como a Ponte Hercílio Luz, o acesso ao Aeroporto e a estrada dos Ingleses. Ele criticou que em função do engessamento da contratação, empresa (no caso a Espaço Aberto) e governo Estadual ficam num jogo de empurra-empurra (o governo diz que a empresa está com a obra atrasada e a empresa diz que o governo não paga)

“Alguém está mentido, a Espaço Aberto ou o governador. Muitos milhões já foram despejados só ali na Hercílio Luz”, comentou, salientando que a mobilidade urbana da Capital clama pela abertura da ponte.

Por unanimidade os vereadores da Câmara Municipal de São José aprovaram em primeira votação, nesta segunda-feira (9), o projeto de lei de autoria da prefeita de São José, Adeliana Dal Pont (PSD) que cria o Fundo Municipal de Segurança. A matéria ingressou na casa Legislativa ano passado e recebeu parecer favorável da comissão de Finanças em dezembro.

Agora o projeto vai para segunda votação. Caso aprovado, o novo órgão será subordinado à Secretaria Municipal de Segurança e servirá para que sejam captados recursos para a área. De acordo com a matéria, sua estrutura será composta por representantes do setor público municipal e de entidades ligadas ao setor.

A Polícia Civil, através de seu Serviço Aeropolicial (SAER), localizou, domingo, 9, quatro automóveis com registro de roubo, sendo um deles alvo do crime no dia anterior, 8.  

O delegado de Polícia Civil, Rodrigo Green, explica que, durante um vôo de monitoramento, observou-se veículos em situação suspeita. “Realizamos  um pouso em local próximo para averiguação, tendo sido constatado que os automóveis possuíam registro de roubo”, destaca. Em seguida, as vítimas foram acionadas tendo reportado os crimes de roubo, passando detalhes importantes para subsidiar a investigação.  

A operação teve apoio da Divisão de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC), que imediatamente disponibilizou todo o suporte necessário para retirada dos automóveis. A DFRV/DEIC assume a frente das investigações.  

“Ressaltamos que a utilização da aeronave facilitou de forma considerável a localização dos veículos, posto que estavam em local de difícil acesso por terra, sendo importante ferramenta que está à disposição de toda a Polícia Civil para levantamentos e averiguações que se façam necessárias”, finalizou Green.  

O Jornal Informe é uma rede de jornais de circulação em Caçador (sede) e Florianópolis 

Editor: Adriano Ribeiro
Telefone: (48) 3733-6977
Plantão: (48) 9922-8133
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.