Fone: (48) 3733-6977 | redacaofloripa@jornalinforme.com.br

 

Adriano Ribeiro

Adriano Ribeiro

Adriano Ribeiro é colunista do Informe e traz informações sobre os bastidores da política e cotidiano de Caçador e Floripa/São José.
Fones: Caçador (49) 8843-4213 - Florianópolis (48) 9922-8133

E-mail: redacaofloripa@jornalinforme.com.br

Twitter: @adrianoinforme

Nesta quarta-feira, 15 de março, o Teatro Ademir Rosa recebe o show “Elas Encantam Santa Catarina”. O espetáculo faz parte do projeto CIC 8:30 e conta com a presença das cantoras e compositoras Ana Paula da Silva, Bárbara Damásio e Susi Brito. Os ingressos estão à venda na bilheteria do teatro, custando R$ 30,00 inteira e R$ 20,00 meia entrada.

Ana, Bárbara e Susi são artistas talentosas e consagradas, com grande popularidade no norte do Estado. No show "Elas Encantam Santa Catarina” as três cantoras dividem o palco pela primeira vez, trazendo ao público suas belas canções autorais em apresentação única na cidade de Florianópolis.

Santa Catarina conta com diversas sub-regiões de diferentes colonizações, mistura que ajuda a enriquecer a cultura do Estado. O intercâmbio cultural vem provando como SC conta com uma grande diversidade de artistas, de diversas vertentes, extremamente talentosos. O projeto CIC 8:30 tem por objetivo promover grandes encontros de artistas e seus públicos e o show “Elas Encantam Santa Catarina" é uma oportunidade perfeita para que os moradores da capital apreciem o que o norte do estado tem de melhor a oferecer: sua música!

Conheça as cantoras:

Ana Paula da Silva, com 20 anos de carreira, é considerada por críticos brasileiros e europeus uma das melhores intérpretes da atualidade. A cantora, compositora e instrumentista já compartilhou o palco e realizou inúmeros concertos dentro e fora do Brasil com grandes músicos. 

Anualmente realiza turnês no Brasil, América Latina e Europa, conquistando a platéia por onde passa. No decorrer de sua carreira, gravou seis discos, sendo que o último deles, “Raiz Forte”, lançado em 2016, recebeu diversos prêmios, elencando inclusive a lista dos “100 Melhores da Música Brasileira”, elaborada pelo jornalista e crítico musical Ed Felix.

Bárbara Damásio é uma das vozes mais reconhecidas no Vale do Itajaí. Já dividiu palco com e abriu shows de artistas como Belchior, Zélia Duncan, Roberta, Sá, Rosa Passos, entre outros. Destacou-se com os shows “Bárbara canta Chico” (2007) e “Na beira do roçado” (2009).  Gravou o DVD "Você é mesmo essa flor" com a participação de Elza Soares. Com esse trabalho, circulou pelo estado de Santa Catarina pelo Circuito Sesc de Música 2016.

Susi Brito iniciou sua carreira em grande estilo com o show “Tributo a Elis Regina”, projeto que repetiu o sucesso em 2013 em sua segunda versão. Gravou em 2010 o DVD “Boca de Siri apresenta Susi Brito”, projeto de pesquisa e resgate do samba antigo e do choro. Em 2014, gravou o CD “Seresteira”, com repertório histórico nacional. Em 2016, lançou seu primeiro disco autoral, intitulado “Minhas Escolhas”, projeto que recebeu Menção Honrosa na lista dos “100 Melhores da Música Brasileira de 2016”, elaborada pelo jornalista e crítico musical Ed Félix e publicada no site Embrulhador.

Serviço: Show Elas Encantam Santa Catarina

Quando: 15 de março de 2017

Onde: Teatro Ademir Rosa - CIC Florianópolis

Horário: 20h30

Ingressos: R$ 30,00 inteira e R$ 15,00 meia entrada

Classificação: Livre

 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

O temporal que atingiu o Litoral do Estado na tarde deste domingo, 12, provocou diversos estragos nas regiões por onde passou, causando danos ao sistema elétrico. No auge do problema, por volta das 16h, a Celesc registrava cerca de 160 mil unidades consumidoras (UCs) sem energia elétrica. Até ás 12h50 desta segunda-feira, restavam 9 mil unidades consumidoras sem energia.

As regiões mais afetadas foram a Grande Florianópolis, com 63 mil UCs, Foz do Itajaí com 35 mil e Vale do Itajaí com 32 mil. Com a mobilização imediata das equipes de emergência, após três horas da passagem do temporal, o atendimento estava normalizado em 75% da área atingida.

Os trabalhos prosseguiram sem interrupção e na manhã desta segunda-feira,  às 8h30, menos de 15 mil UCs permaneciam sem energia elétrica, sendo cerca de 5 mil na região da Grande Florianópolis, onde os estragos foram maiores, devido à força dos ventos e a intensidade da chuva de granizo.

Conforme o chefe da Divisão Técnica da Agência Florianópolis, Adriano Luz, nesta manhã estão envolvidos cerca de 100 de pessoas no trabalho de recuperação, que permanecerão até que todo o abastecimento esteja normalizado, o que deve acontecer até o final da tarde. 

Mais informações sobre o volume de ocorrências na ferramenta Em Tempo Real

Uma boia meteo-oceanográfica, a SiMCosta SC-01, está fundeada desde o dia 22 de fevereiro nas proximidades da Ilha do Arvoredo, interior da Reserva Biológica (Rebio) Marinha do Arvoredo, em Florianópolis. A instalação e manutenção da boia instrumentalizada é fruto de uma parceria entre o Sistema de Monitoramento da Costa Brasileira (SiMCosta), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). “Esta parceria é fundamental para o sucesso do programa de monitoramento de longo prazo na Rebio Marinha do Arvoredo”, salienta o coordenador nacional do SiMCosta e pesquisador do programa de pós-graduação em Oceanografia da UFSC (PPGOceano), Carlos Alberto Eira Garcia.

De acordo com Ricardo Castelli Vieira, chefe da Rebio do Arvoredo, “os dados obtidos pela boia servirão para dar continuidade ao monitoramento de parâmetros oceanográficos realizado pela UFSC ao longo de 2014, 2015 e 2016, no âmbito do Projeto de Monitoramento Ambiental da Rebio Arvoredo e entorno (MAArE).” Andrea Freire, coordenadora da área de Oceanografia do MAArE, reforça a importância da instalação da boia para o desenvolvimento da pesquisa em oceanografia no estado: “Santa Catarina tem sido um lugar de muitas ocorrências de desastres naturais, todos relacionados à variabilidade oceanográfica e meteorológica. Agora teremos a possibilidade de observar essas variações.”

A pesquisadora salienta que a instalação da boia SiMCosta SC-01 é inédita: “É a primeira vez que o estado tem uma boia tão eficiente. Já existiam boias com essas características em vários lugares, mas não em Santa Catarina.” Outra vantagem, segundo Andrea, é o fato de o equipamento estar instalado dentro de uma reserva biológica. “Nenhuma outra boia está instalada dentro de uma unidade de conservação no Brasil. Os dados coletados serão muito importantes.” A reserva Biológica Marinha do Arvoredo (Rebio do Arvoredo), onde atuou o MAArE, está localizada na região central do litoral catarinense, incluindo quatro ilhas — Arvoredo, Deserta, Galés e Calhau de São Pedro — e o ambiente marinho associado. A reserva engloba águas dos municípios de Florianópolis, Governador Celso Ramos, Porto Belo, Bombinhas e Tijucas, em Santa Catarina. É a única Rebio marinha existente nas regiões Sul e Sudeste do País.

Na boia estão acoplados vários instrumentos e sensores que fornecem dados meteorológicos (vento, pressão atmosférica, temperatura, radiação solar, precipitação, umidade relativa e concentração de CO2) e oceanográficos (temperatura, salinidade, turbidez, concentração de CDOM, concentração de clorofila-a, oxigênio dissolvido e pH). Os dados obtidos pela SiMCosta SC-01 são transmitidos via satélite (meteorológicos) e por telefonia celular (oceanográficos), numa frequência horária, para servidor localizado na Universidade Federal do Rio Grande (Furg), instituição coordenadora do SiMCosta. Em seguida, os dados são disponibilizados on-line e gratuitamente no Portal SiMCosta.

Sobre o SiMCosta

O SiMCosta é um projeto que visa o monitoramento contínuo de propriedades meteorológicas e oceanográficas para fornecer informações ambientais e, ao longo do tempo, prover dados para estudos de impactos das mudanças climáticas ao longo da costa brasileira. O SiMCosta é coordenado pela Subrede Zonas Costeiras da Rede Clima e INCT para Mudanças Climáticas, com sede na Furg, e financiado pelo Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (Fundo Clima), Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

Acontece nesta segunda, 10, às 14 horas, no auditório da Secretaria de de Estado de Assistência Social a entrega de Premiação do Melhor Modelo Infantil  do 4º PRÊMIO BRASIL SUL DE MODA INCLUSIVA,  que aconteceu no Centrosul, em 25 de Novembro de 2016.                                                                     

O PRÊMIO SUL DE MODA BRASIL INCLUSIVA é uma ação cultural de moda, aliada ao exercício da  cidadania, que, em 2016, realizou sua quarta edição,  com objetivo principal de provocar, na sociedade catarinense, um amplo  debate sobre moda diferenciada,  além de incentivar o surgimento de novas soluções em relação ao vestuário para pessoas com  deficiência.

O Prêmio reconhece e premia o trabalho de estudantes de moda e design, da região sul do Brasil, que devem projetar e produzir modelos de roupas adaptadas para pessoas com algum tipo de deficiência.

A PREMIAÇÃO

MELHOR MODELO INFANTIL COM DEFICIÊNCIA – 01  CADEIRAS DE RODAS MOTORIZADA, SOB MEDIDA: O melhor Modelo Infantil, do Prêmio de Moda Inclusiva, que foi  escolhido por um corpo de Jurados especialistas em Moda e Inclusão Social, recebe 01 Cadeira de Rodas Motorizada, produzida sob medida, pela Empresa Ortobras, uma das maiores fabricantes mundiais  de produtos para Pessoas com Deficiência. DETALHES TÉCNICOS: CONSTRUIDA EM LIGA ALUMINIO AERONÁUTICO TEMPERADO; Rolamentos blindados nas quatro rodas, inclusive no eixo vertical do garfo;Eixos de aço reforçado; Pintura epóxi; Estofamento 100% nylon acolchoado com almofada de alta densidade incorporada;Almofada de 5 cm de espessura em espuma de alta densidade incorporada ao assento; Estrutura dobrável em duplo “X” com sistema de fechamento por articuladores;Rodas traseiras de alumínio 12” com pneu anti furo;Rodas dianteiras de 200 x 50 mm maciças, com garfo de nylon;Sistema de desmontagem rápida “quick release” nas rodas dianteiras;Pedal removível com sistema “swingaway”; Apoio de braço com regulagem de altura e removível; Baterias 26Ah para autonomia de até 15 Km; Baterias tipo VRLA de ciclo profundo (permitida para o transporte aéreo); Motor de 320W de corrente continua, ímã permanente e 24V; Freio eletromagnético inteligente; Transmissão com engrenagens helicoidais; Joystick e módulo de potência modelo VR2 P&G;Rodas antitombo de segurança; Possibilita adaptação de joystick no lado direito ou esquerdo da cadeira;

MELHOR MODELO INFANTIL: EDU XAVIER GARCIA NETO – 07 ANOS – SÃO JOSÉ/SC:  O menino Edu Xavier foi um dos 03 modelos do Desfile da Coleção da Estilista da UDESC, de Florianópolis, Marina de Lara Bertollo, que foi a 5ª Colocada na 4ª Edição do Prêmio de Moda Inclusiva,no Desfile em  25 de Novembro de  2016. A coleção da estilista da UDESC de  Florianópolis, que ela denominou de CÉU “propõe que a criança brinque com o ato de vestir através dos números, assim como na amarelinha. Conta-se de 1,2,3 até chegar ao céu, local onde se completa a brincadeira. Esta é uma coleção mais esportiva, que traz recortes, aplicações, além de muito conforto e praticidade na hora de brincar.“  Edu Xavier, foi escolhido, pelos jurados, como o melhor modelo Feminino do 4º Prêmio Brasil Sul de Moda Inclusiva, e vai receber por isto, através de doação da Empresa Gaucha Ortobras, apoiadora do projeto, 01 Cadeira de Rodas Motorizada, sob medida, evento de entrega vai acontecer no dia 13 de Março, as 14 horas, no Auditório da Secretaria de Estado de Assistência Social, em Florianópolis, com acesso gratuito.

SERVIÇO:                                                                                                                                                                 

- O que:  ENTREGA PREMIAÇÃO MELHOR MODELO INFANTIL DO 4º PRÊMIO BRASIL SUL  DE MODA INCLUSIVA                                                                                         

- Quando: 13 de  Março de 2017, as 14:00 horas                                                                                

- Onde: Auditório da Secretaria de Estado de Assistencial Social, Trabalho e Habitação, na Avenida Mauro Ramos 722 - Centro - Florianópolis – SC  CEP: 88.020-300 - Telefone: (48) 3664 0800                                                                                                    

- Quanto:  Gratuito                                                                                                                                     

- Informações:   Fone: 48 - 99992-9209 e  48 - 98443-5853 ou ainda  pelo e-mail  Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.   e/ou no  Facebook: SCMODAINCLUSIVA

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

 

 

 

Nesta segunda-feira, 13, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) dará início ao Monitoramento Rápido de Cobertura (MRC) da vacina contra a febre amarela em todos os 162 municípios catarinenses que integram a Área com Recomendação para Vacinação (ACRV). O objetivo é verificar a situação vacinal contra a febre amarela dos habitantes acima dos nove meses e abaixo de 60 anos de idade, uma população estimada em 500 mil, conforme IBGE (2010). Durante esta ação, quem não estiver imunizado será vacinado.

A metodologia do MRC foi apresentada aos secretários municipais de saúde na Comissão Intergestores Bipartite (CIB) no dia 23 de fevereiro, e definida em uma videoconferência realizada no dia 6 de março entre as equipes de imunização, Vigilância das Zoonoses e Atenção Básica das Gerências Regionais de Saúde e dos municípios com ACRV. “Trata-se de uma atividade de campo recomendada pela Organização Pan-Americana de Saúde para supervisão das ações de vacinação”, explica a enfermeira Vanessa Vieira da Silva, gerente de Imunização da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive).

Até o dia 24 de março, residências desses municípios serão visitadas por agentes comunitários de saúde para resgatar indivíduos não-vacinados, garantindo a prevenção e o controle da doença. “Essa estratégia é fundamental para protegermos a população de nosso estado contra a febre amarela”, pondera Vanessa. Ao final, o MRC revelará a real cobertura e servirá de base para o planejamento de ações específicas de campanhas nas áreas que tenham baixos índices vacinais.

Quem se deslocar para um desses municípios que integram as Áreas com Recomendação de Vacinação em uma dessas cidades catarinenses ou em outros estados, também deve se imuzinar com pelo menos dez dias antes da viagem. De janeiro até o dia 6 de março, 39.525 pessoas foram vacinadas contra febre amarela em Santa Catarina, um aumento de 38% em relação as 28.678 doses aplicadas no mesmo período do ano passado.

Vigilância de epizootias  

Os primatas não-humanos (PNH-macacos) são como sentinelas da febre amarela. Por viverem no mesmo ambiente que os mosquitos transmissores (Haemagogus e Sabethes) em área silvestre (restrito às matas), os macacos são os primeiros a adoecer alertando para uma possível circulação do vírus da febre amarela naquela região. Daí a importância em comunicar imediatamente às autoridades municipais de saúde, pois na ocorrência da morte ou adoecimento destes animais, amostras devem ser coletadas em até 24 horas para análise. Alterações no comportamento ou queda repentina no número de macacos em determinada área também devem ser informados.

“Para efeito de vigilância, todo o primata não-humano (macacos) de qualquer espécie encontrado doente ou morto, incluindo ossadas, deve ser considerado um caso suspeito de febre amarela. Por isso, a vigilância epidemiológica municipal deverá investigar e notificar o caso em até 24 horas pela via mais rápida, por e-mail ou telefone, e proceder a coleta de material e envio imediato ao Laboratório Central para diagnóstico”, alerta Suzana Zeccer, gerente de Zoonoses da Dive. Caso o adoecimento ou a morte do macaco ocorra em local integre as áreas com recomendação para vacinação (ACRV), o município deverá realizar a busca ativa em todos os indivíduos não vacinados contra febre amarela, em um raio de 300 metros a partir do local de ocorrência e realizar a vacinação.

A população também pode colaborar para essa vigilância, especialmente quem mora em área rural ou próximo a áreas de mata. “Quem encontrar um macaco morto ou doente ou observar comportamento atípico desses animais deve informar o caso imediatamente à Secretaria Municipal de Saúde. Vale lembrar que os macacos não transmitem febre amarela. Eles são vítimas da doença, assim como os humanos”, enfatiza a bióloga Renata Ríspoli Gatti, responsável pela vigilância da febre amarela em Santa Catarina. Segundo ela, quando os macacos estão doentes, eles apresentam comportamento lento, costumam descer das árvores e perambular pelo chão e têm dificuldades para se alimentar.

A ocorrência de mortes de macacos relacionadas a uma mesma causa, como a infecção pelo vírus da febre amarela, revela a existência deepizootia ( conceito utilizado em veterinária e ecologia das populações para qualificar uma enfermidade contagiosa que ataca um número inusitado de animais ao mesmo tempo e na mesma região, com rápida propagação). De 1° de janeiro a 0 de março de 2017, Santa Catarina16 epizootias envolvendo 18 macacos, com oito coletas oportunas de amostras. Dessas, três apresentaram resultado não-reagente e cinco ainda aguardam resultado laboratorial.

 No mesmo período foram notificados 11 casos humanos suspeitos de febre amarela no estado. Desses, sete foram descartados por apresentarem resultado não-reagente e quatro (com histórico de viagens para Goiás, Espirito Santo, Minas Gerais, São Paulo e  Mato Grosso do Sul) aguardam resultado laboratorial. Santa Catarina não registra casos de febre amarela em humanos desde 1966. Todos os exames são realizados pelo Instituto Adolfo Lutz/SP, laboratório de referência em febre amarela para Santa Catarina, e os resultados podem levar até 20 dias para serem liberados.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

Policiais militares da Agência de Inteligência (AI) com apoio do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) do 7° Batalhão de Polícia Militar (BPM) recuperaram um veículo roubado que havia sido utilizado em três assaltos pela manhã, na região do Bairro Forquilhinhas. O veículo foi encontrado sendo conduzido por dois adolescentes na Rua John Lennon, Bairro Areias, em São José.

Por volta das 0h DE SEXTA, 10, a AI repassou à guarnição do PPT as informações acerca do veículo, de cor verde, que estaria transitando pela região. Foi então que os policiais conseguiram localizar o veículo e realizar a abordagem, sendo encontrada uma quantia em dinheiro proveniente dos assaltos realizados mais cedo.

Os adolescentes, de 17 anos de idade, assim como o veículo, foram encaminhados à Central Regional de Plantão Policial de São José.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

Com o temporal da tarde de domingo, seis unidades escolares foram danificadas,  principalmente com destelhamento, vidros quebrados, problemas em calhas e árvores arrancadas.   Sofreram algum tipo de dano as escolas Virgílio Várzea  (Canasvieiras),  Maria Tomázia Coelho (Santinho),  Herondina Medeiros Zeferino (Ingleses),  Albertina Madalena Dias (Vargem Grande), Núcleo de Educação Infantil Gentil Mathias (Ingleses)  e Núcleo de Educação infantil Ingleses (Ingleses). 

Uma força-tarefa foi montada para que esses estabelecimentos de ensino sejam recuperados. As aulas foram suspensas apenas na Escola Maria Tomázia.

Conforme o secretário de Educação, Mauricio Fernandes Pereira, duas empresas privadas, além de funcionários da prefeitura, estão visitando as unidades para fazer o levantamento dos estragos e tomar medidas urgentes.

“Ontem mesmo,  estou mantendo contato com os diretores dos estabelecimentos de ensino  para tranquilizá-los . Hoje, desde  cedo,  a  administração municipal  está  em campo   para garantir o mais rápido possível   o pleno funcionamento no ensino fundamental e na educação infantil”, disse.

Na Escola Maria Tomázia, professores e demais funcionários  se uniram para ajudar na limpeza da unidade. Com destelhamento de algumas  partes, foram atingidos salas dos anos iniciais, salas da direção, biblioteca, informática, sala  dos professores e cozinha.  Muitos vidros de  janelas foram quebrados. Há lama na quadra esportiva. 

Hoje não houve aula pela manhã e nem ocorrerá atividades no período da tarde. A prefeitura  se esforça  para que amanhã as aulas recomecem para os 700 estudantes da unidade.

Na Virgílio Várzea (Canasvieiras), pais e mães engrossaram o movimento de limpeza da escola, por volta das 7 horas da manhã, conforme o diretor Ildo Turatti. “Houve solidariedade das famílias para que a escola não interrompesse o seu funcionamento”, destacou.  A escola, de 700 alunos, teve 350 telhas  e 70 cumeeiras avariadas.

Na Escola Herondina Medeiros Zeferino (Ingleses)  ocorreu destelhamento do prédio central  e no ginásio de esportes,  vidros quebrados,  alagamentos. Duas árvores foram arrancadas pelo vento.  Calhas e para raios também.  Se chover, duas ou três salas  poderão ser interditadas.   A Herondina Medeiros é o maior estabelecimento da rede municipal de ensino com 1. 560 crianças matriculadas.

Na Escola Albertina Madalena Dias (Vargem Grande) duas salas de aula do anexo e uma sala do prédio central  tiveram problemas no telhado. O laboratório de Ciências está com goteiras. Toldos foram arrancados.  Galhos de árvores sucumbiram com o vento. A unidade é responsável por 750 alunos.

No Núcleo de Educação Infantil Ingleses  (Ingleses), apenas algumas telhas do corredor foram danificadas. O atendimento é normal para as 430 crianças de zero a cinco anos de idade.

O Núcleo de Educação Infantil Gentil Mathias, também  em Ingleses,  teve três salas alagadas devido a telhas  quebradas. Esses espaços já foram limpos. As atividades são normais para as  364 crianças da unidade . 

 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

A UPA Norte restringiu os atendimentos no fim da tarde deste domingo (12) devido aos estragos provocados pelo forte temporal que atingiu a região, muito próximo ao ocorrido na semana anterior. O secretário de Saúde, Carlos Alberto Justo da Silva esteve no local e deu apoio no atendimento aos pacientes até as 22h. Na manhã desta segunda-feira (13), o serviço já foi retomado normalmente.

A tempestade arrancou boa parte do telhado da UPA e a água da chuva atingiu a salas, consultórios e corredores. A Secretaria de Obras foi acionada imediatamente para iniciar o trabalho de manutenção. A Comcap também deu apoio na limpeza das salas e consultórios e retirada de resíduos.

Centros de saúde da região Norte, também atingidos, tiveram que abrir perto das 9 horas na manhã desta segunda-feira para a limpeza das áreas atingidas pela água da chuva. Algumas salas de imunização, que sofreram corte de energia, tiveram que ser fechadas, devido a instabilidade de temperatura que danifica as vacinas. Estão abertas as salas de vacina de Canasvieiras, Ingleses, Ratones e Vargem Grande.

As demais (Cachoeira do Bom Jesus, Jurerê, Ponta das Canas, Santo Antônio e Vargem Pequena) devem começar a ter o serviço retomado nesta terça-feira (14).

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

 

 

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) lançou dois editais para o preenchimento de 191 vagas remanescentes (95 delas para candidatos autodeclarados negros) dos processos seletivos Vestibular e das Vagas Suplementares para Negros. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas de 10 a 17 de março.

Para concorrer a uma das 96 vagas do Vestibular, os candidatos devem ter participado do Vestibular UFSC 2017, ter tido sua redação avaliada e obtido nota igual ou superior a 3,00 (na escala 0,00 a 10,00) nessa avaliação; ou ter participado do ENEM 2014, 2015 ou 2016, tendo obtido no mínimo 300 pontos na disciplina de redação e pontuação correspondente à nota mínima do ENEM acrescida de 10%, em cada uma das seguintes disciplinas: Ciências Humanas e suas tecnologias, Ciências da Natureza e suas tecnologias, Linguagens e códigos e suas tecnologias e Matemática e suas tecnologias. O site para inscrição é o www.vestibular2017.ufsc.br

Para concorrer a uma das 95 vagas suplementares, poderão inscrever-se candidatos pertencentes ao grupo etnicorracial negro, oriundos de qualquer percurso escolar, que tenham concluído o Ensino Médio e que tenham participado de pelo menos uma das edições do ENEM realizadas em 2014, 2015 ou 2016 e obtido a pontuação mínima especificada no edital. O site para inscrição é o www.suplementaresnegros2017.ufsc.br

Confira os editais, com as vagas disponíveis:

Vagas remanescentes do Vestibular.

Vagas suplementares para negros.

 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

 

Um dos intérpretes mais reconhecidos do cenário musical brasileiro, Ney Matogrosso é um senhor absoluto de seu próprio tempo e espaço. O artista vem à Santa Catarina no dia 4 de abril em um show da turnê "Atento aos Sinais", baseado no DVD homônimo. O evento acontece no Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina com abertura às 20h e os ingressos já estão sendo comercializados a partir de R$ 80 pelo site Blueticket (http://www.blueticket.com.br/NeyMatogrosso) ou na Loja da Blueticket do Beiramar Shopping. O evento é realizado pela Orth Produções, empresa de Florianópolis focada em eventos culturais.

"Atento aos Sinais" é um espetáculo composto por músicas de compositores consagrados, como Caetano Veloso (“Two Naira FiftyKob”) e Paulinho da Viola (“Roendo as unhas”), mas que destaca a produção de novos nomes como Criolo (“Freguês da Meia-Noite”), a banda Zabomba (“Pronomes”), Dani Black (“Oração”), o alagoano Vítor Pirralho (“Tupi Fusão”), Dan Nakagawa (“Todo mundo o tempo todo”) e os cariocas do Tono (“Não consigo” e “Samba do Blackberry”). “Muitos me procuram, vão aos shows e me entregam letras, discos gravados. Outros conheço através da internet. Sempre acho que numa dessas posso encontrar coisas interessantes, como tenho encontrado”, conta Ney. 

Sob a direção musical do tecladista Sacha Amback, o show “Atento aos Sinais”, gravado em junho deste ano no HSBC Tom Brasil, em São Paulo, é uma super-produção, a maior da qual já fez parte, segundo o próprio Ney. “Usamos uma iluminação que eu nunca havia usado ou visto alguém utilizar por aqui. É uma luz de rock’n’roll”. O aparato em questão inclui quatro telas de LED que projetam imagens que funcionam como vídeo cenários. Sob a moldura da luz criada por Ney e Juarez Farinon, o cantor surge com figurinos ousados, “salientes”. Já na abertura do show, com “Rua da passagem (Trânsito)”, parceria de Lenine com Arnaldo Antunes, e “Incêndio”, do repertório da extinta banda Urge, do compositor Pedro Luís, o espetáculo já diz a que veio. A turnê, que passou por Portugal, Argentina, Uruguai e pelas principais capitais do país, está perto de contabilizar 100 apresentações, em quase dois anos de estrada. 

O formato CD reúne 17 canções e o DVD 19, incluindo ainda os registros de “Amor”, clássico do repertório dos Secos e Molhados, “Astronauta Lírico” (Vitor Ramil), “Poema”(Cazuza/Frejat), “Ex-amor” (Martinho da Vila) e o poema “Há minutos atrás” como conteúdo extra. A banda primorosa, que garante a“metaleira” e a base sonora perfeitas para o repertório, é formada por Sacha Amback (direção musical e teclado), Marcos Suzano e Felipe Roseno (percussão), Dunga (baixo), Mauricio Negão (guitarra), Aquiles Moraes(trompete) e Everson Moraes (trombone).

Serviço:

O que: Show do Ney Matogrosso

Quando: 4 de abril

Onde: Centro de Cultura e Eventos da UFSC

Ingressos: Ingressos www.blueticket.com.br e Loja Blueticket Shopping Beiramar

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

O Jornal Informe é uma rede de jornais de circulação em Caçador (sede) e Florianópolis 

Editor: Adriano Ribeiro
Telefone: (48) 3733-6977
Plantão: (48) 9922-8133
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.