Fone: (48) 3733-6977 | redacaofloripa@jornalinforme.com.br

 

Adriano Ribeiro

Adriano Ribeiro

Adriano Ribeiro é colunista do Informe e traz informações sobre os bastidores da política e cotidiano de Caçador e Floripa/São José.
Fones: Caçador (49) 8843-4213 - Florianópolis (48) 9922-8133

E-mail: redacaofloripa@jornalinforme.com.br

Twitter: @adrianoinforme


Foto: James Tavares/Secom

Durante o verão é necessário ter cuidados redobrados com a alimentação. A Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estado de Saúde (Dive/SES) alerta para os casos de virose e intoxicação que tendem a crescer neste período, em função do aumento do consumo de alimentos e bebidas contaminados ou conservados de maneira inadequada e pelo contato com água imprópria para banho, aliado a um aumento na circulação de vírus, bactérias e parasitas que causam essas doenças.

“Os principais cuidados que se deve tomar é manter os alimentos sempre bem refrigerados e não consumir os de procedência duvidosa. Quando vamos para a praia precisamos estar atentos, principalmente para sacolés, raspadinhas e sucos, pois é difícil saber se a água utilizada era de boa procedência, por exemplo”, alerta enfermeira Vanessa Vieira da Silva, gerente de Imunização Doenças Imunopreveníveis e DTHA da Dive/SES.

Nos últimos quatro anos, Santa Catarina registrou 242 surtos de Doenças Transmitidas por Alimentos (DTA) notificados, com 5.661 doentes e 818 hospitalizações. Dentre os surtos notificados, somente 32% (78/242) tiveram o agente etiológico identificado, sendo os mais frequentes a Salmonella spp (21 surtos), Staphylococcus aureus(20 surtos), E.coli enteropatogênica (11 surtos), Bacillus cereus (10 surtos) e Clostridium perfringens (9 surtos). Em geral, eles são transmitidos devido ao preparo e acondicionamento incorreto de alimentos, ao consumo de bebidas (água, sucos, gelo) de procedência duvidosa e à ausência de cuidados com a higiene pessoal (lavagem das mãos), que facilitam a transmissão de patógenos causadores da diarreia. 

Atenção aos sinais e sintomas

Os sintomas de intoxicação alimentar, em geral, são náuseas, fraqueza, dor abdominal e palidez. O maior risco é a desidratação decorrente de uma possível diarreia ou vômito. Por isso, é importante ingerir líquidos, especialmente água filtrada. “Em algumas situações, é necessária a reposição hídrica por meio de soro, e, por isso, é muito importante procurar um médico”, ressalta Vanessa.

As viroses (rotavírus/norovírus) são altamente contagiosas, podendo sobreviver por até sete dias nas superfícies. São transmitidas diretamente – pessoa para pessoa - ou indiretamente, por meio de alimentos ou água contaminados pelo manuseio. Acometem adultos e crianças, sendo caracterizadas por náusea, vômito, diarreia, febre, dores epigástrica e abdominal com quadro clínico leve a moderado e duração, em geral, de um a cinco dias.

Como evitar os fatores de risco

- Não consumir alimentos que estejam fora do prazo de validade estabelecido pelo fabricante, mesmo que sua aparência seja normal;

- Mesmo dentro do prazo de validade, não consumir alimentos que pareçam deteriorados, com aroma, cor ou sabor alterados;

- Não consumir alimentos em conserva cujas embalagens estejam estufadas ou amassadas;

- Lavar frequentemente as mãos com água e sabão, especialmente após utilizar o sanitário e antes de se alimentar, preparar ou manipular alimentos;

- Quando levar alimentos para a praia, garanta que eles estão bem protegidos e com a conservação térmica adequada;

- Não tomar banho em praias impróprias ou em rios e córregos poluídos. Em época de chuva, o risco se agrava devido ao espalhamento de lixo e esgoto, aumentando as áreas com poluição;

- Embalar adequadamente os alimentos antes de colocá-los na geladeira;

- Lavar os utensílios de cozinha, especialmente depois de ter lidado com alimentos crus;

- Evite comer carne crua e mal passada, qualquer que seja sua procedência;

- Somente beber leite fervido ou pasteurizado;

- Higienizar frutas, legumes e verduras com solução de hipoclorito a 2,5% (diluir uma colher de sopa de água sanitária para um litro de água por 15 minutos, lavando em água corrente em seguida, para retirar resíduos);

- Lavar superfícies que tenham sido contaminadas com vômito e fezes de pessoas doentes, usando água e sabão. E, logo após, desinfectar com água sanitária.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

Todo começo de ano os pais têm um compromisso certo: comprar o material escolar dos filhos. Mas para aqueles que querem realmente economizar, o jeito é gastar sola de sapato e ir pesquisar.

Sim, pesquisa ainda é a melhor forma de encontrar os preços mais atrativos, pois, de acordo com a que foi realizada pelo Procon Municipal de Florianópolis, a diferença de preços entre produtos similares chega a variar mais de 1000%, como é o caso de um jogo de caneta hidrográfica com 12 unidades, cujo preço vai de R$ 2,50 até R$ 39,99, nos estabelecimentos visitados pelo órgão.

Confira a lista dos principais produtos pesquisados:

Tudo de cola branca 40g: de R$ 0,78 a R$ 4

Fita crepe: de R$ 3,99 a R$ 7,50

Fita Durex transparente: de R$ 1,50 a R$ 3,99

Apontador: de R$ 0,20 a R$ 10,60 (mais simples e com depósito)

Borracha: de R$ 0,40 a R$ 4,20

Caderno universitário 10 mat. (100 folhas): de R$ 4,80 a R$ 22,30

Caderno universitário 10 mat. (200 folhas): de R$ 8,50 a R$ 45

Caneta hidrográfica fina 12unid.: de R$ 2,50 a R$ 39,99

Lápis de cor 12unid.: de R$ 2,89 a R$ 22,90

Pedidos abusivos

O Procon Municipal recomenda que os pais fiquem atentos aos pedidos das escolas, pois algumas instituições podem fazer pedidos que não cabe aos pais fornecerem, como álcool, giz e pincel para lousa, lenços descartáveis, copos plásticos ou medicamentos.

De acordo com o diretor do Procon, Fábio Gongora, a escola só pode exigir os materiais utilizados nas atividades diárias do aluno e em quantidade razoável. Também não pode haver especificação da marca ou do local para compra.

Ainda segundo ele, a prática, além de abusiva e ferir o Código de Defesa do Consumidor, é proibida, de acordo com a Lei 9.870/99. 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

O Carnaval está se aproximando e a Fields promove no dia 19 de janeiro o Catra Folia, festa de Pré-Carnaval que será um esquenta para os foliões entrarem no clima da festa mais popular do Brasil. E quem comanda a label é Mr. Catra que traz na bagagem o melhor do funk carioca para o palco da Fields.

Conhecido como o “rei do funk”, Catra já contabiliza mais de 30 anos de carreira  e ganhou influência no cenário do funk no anos 2000, quando lançou a música “Adultério. Em Floripa ele vai apresentar alguns dos sucessos bem conhecidos do público como “Uh, Papai Chegou”, “A Gente Faz a Festa”, “Vem Todo Mundo”, “Eu Faço Valer a Pena” e “Tá Tudo Bom, Tá Tudo Bem”. Ander e Fael e o grupo RPZ completam o repertório da festa.

Os ingressos para os shows já estão à venda e podem ser adquiridos online no site Ingresso Nacional ou na recepção da Fields, de segunda à sexta, das 09 às 19h.

Serviço

O quê: Catra Folia

Quando: 19 de janeiro de 2018

Local: Fields -  Av. Paulo Fontes, 1250 - Centro - Florianópolis - SC

Horário: Abertura da casa às 23h

Classificação: 18 anos

Ingressos*: Pista Unissex R$40 / Mezanino Unissex R$80 à venda na Fields ou online no Ingresso Nacional

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

Até o próximo dia 29 de janeiro quem visitar o Iguatemi Florianópolis poderá se aventurar em um voo de asa delta. Nunca teve esta experiência? Então esta é a chance de fazer um passeio por paisagens que têm tudo a ver com este período de verão e férias.

O Flying Experience, um equipamento de realidade virtual que simula o voo, tem chamado a atenção de quem circula pelo shopping durante esta temporada. Na brincadeira se tem a mesma sensação de um passeio nas alturas. Além de usar o colete igual ao dos praticantes da modalidade, o participante fica suspenso do chão simulando a mesma posição durante o voo. A tecnologia une a percepção visual com a sensação física, justamente para aproximar a experiência ao máximo da realidade.

A atração, localizada no Piso L3, na Praça de Alimentação, é gratuita e para todas as idades. O limitador é o peso (de até 200 quilos), já que as pessoas ficam suspensas. O vídeo que simula o voo dura aproximadamente três minutos e outros três são consumidos para os preparativos. Depois do voo, os participantes ainda podem ganhar vouchers com brindes e descontos para serem retirados nas lojas e restaurantes, ou ingressos para o cinema.

“O Iguatemi Florianópolis é sempre um ponto de referência para moradores e turistas e queríamos oferecer uma experiência única, que fosse a cara da cidade. Esse projeto uniu entretenimento e tecnologia, que são pilares importantes para nós”, diz Tavane Sakamoto, gerente de Marketing do empreendimento.

OUTRAS ATRAÇÕES

Além do Flying Experience, o público que passear pelo shopping também vai encontrar ilhas de interatividade inspiradas no clima da estação mais alegre. Nesses espaços será possível fazer fotos divertidas para compartilhamento nas redes sociais.
O Iguatemi Summer Time também está com ações nos pontos de maior circulação de turistas. Uma equipe de promotoras circula pelas praias, avenida Beira-Mar Norte e aeroporto distribuindo garrafinhas de água personalizadas e vouchers que isentam os clientes do pagamento do estacionamento por até três horas.

SERVIÇO:

O que: Flying Experience

Onde: Shopping Iguatemi Florianópolis - Piso L3 (Praça de Alimentação)

Quando: de 10 a 29 de janeiro

Idade: Para todas as idades. Mas dos o público com idades entre 4 e 16 anos deve estar acompanhado dos pais ou pessoa responsável.

Restrições: não recomendado para mulheres grávidas, pessoas com labirintite e que tenham

medo de altura.

Valor: Gratuito.

O que: Ilhas interativas para fotos
Onde: Shopping Iguatemi Florianópolis

Quando: Até 29 de janeiro

Locais:

Ilha do Surfista - em frente à Florence
Ilha Havaina - em frente ao elevador do L1
Ilha Luau - em frente à loja Bibi
Ilha Relax - em frente à Calvin Klein - das 17h às 21h
Ilha Pescador - em frente ao elevador do L2
Ilha Praia - em frente ao elevador do L3

Sobre o Shopping Center Iguatemi Florianópolis

Inaugurado em 2007, o Iguatemi Florianópolis faz parte da Iguatemi Empresa de Shopping Centers e leva os atributos da marca, como a qualidade, em seu DNA. O mix de lojas completo, com diversas opções de moda, gastronomia, tecnologia, decoração, beleza e serviços, somado à localização privilegiada - no bairro Santa Mônica -, consolidou o empreendimento como o principal polo de compras e entretenimento da capital catarinense Adicionalmente, o Iguatemi Florianópolis está sempre inovando e promove ao longo do ano eventos de lazer e cultura para todos os públicos.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

A temática da decoração da Creche Municipal Waldemar da Silva Filho, na Trindade, nessa temporada do programa Creche de Verão é “Mar da Ilha”. O hall de entrada sugere o fundo do mar e expõe equipamentos utilizados na pesca e no cultivo de espécies de animais marinhos, como tarrafa e lanterna de cultivo de ostras.

Adequando a atividade ao calor de verão, foi realizada uma pescaria com os peixinhos que compunham a decoração de uma das paredes. Ao redor de uma piscina plástica inflável cheia de água com os peixinhos boiando, três em três crianças, com o auxílio das professoras, pescaram com varinhas de bambu.

Enquanto os pequenos se concentravam na atividade, os demais em torno torciam e orientavam verbalmente os pescadores da vez. Após a atividade, os peixes pescados voltaram para a parede, mas agora pendurados na vareta de bambu.

“O gratificante do processo é ver que as crianças, quando passam com suas famílias, apontam para os peixinhos e dizem: ‘Olha, fui eu que pesquei!’”, conta a coordenadora do Creche de Verão na unidade, Miriam Lenzi.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (MDB), definiu na manhã desta terça-feira, 16 de janeiro, a estrutura da nova ponte da avenida principal do Ratones, no Norte da Ilha. De acordo com os engenheiros da empresa que vai construir a nova ponte, a estrutura será feita de galerias de 7 metros e ficará pronta em no máximo três semanas. Com isso, o prefeito descartou fazer uma estrutura provisória, que demoraria cerca de uma semana e meia, além dos custos. A empresa já iniciou o trabalho de limpeza e preparação para a nova estrutura.

A nova ponte está projetada para suportar um peso de 45 toneladas e o modelo é o utilizado nas principais BRs do Brasil. Para se ter ideia, um ônibus lotado não chega a pesar 16 toneladas. O modelo escolhido para a ponte vai custar cerca de R$ 700 mil, menos do que a metade do que uma ponte comum com a mesma capacidade de resistência. As outras pontes danificadas pela chuva no bairro estão em fase de estudo por engenheiros e deverão ter uma definição nos próximos dias.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

Mais um corpo foi desovado na praia de Moçambique, Norte da Ilha de Florianópolis. Na manhã desta terça-feira (16) foi encontrado no local o cadáver de um homem com aproximadamente 20 anos. Ele tinha perfurações provavelmente causadas por arma de fogo. As autoridades policiais ainda não divulgaram a identidade do jovem.

De acordo com o Instituto Geral de Perícias (IGP) as quatro perfurações de armas de fogo são recentes e desconfia-se que o crime tenha ocorrido na madrugada desta terça (16). Provavelmente o assassinato ocorreu em outro local e o corpo foi desovado em Moçambique, especialmente porque o local não tem um posto policial.

Após a perícia inicial o IGP entregou o corpo ao IML. A Delegacia de Homicídios instaurou inquérito para investir o crime. Segundo a polícia, esta já é a sétima morte violenta na Capital neste ano de 2018.

FALTA DE POSTO POLICIAL

A comunidade da praia de Moçambique, que faz parte do bairro Rio Vermelho, está preocupada com a identificação do local como violento. Segundo moradores, isso não procede. O que acontece é que os bandidos escolheram a região para desovar cadáveres dde pessoas mortas em outros bairros. A falta de um posto policial, segundo eles, facilita o trabalho da bandidagem.  

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

Os 40 membros que serão indicados pelas entidades eleitas para compor o Conselho da Cidade de Florianópolis serão empossados dia 23 de março, durante o Aniversário da Capital. A informação foi repassada pelo prefeito Gean Loureiro (MDB), que preside o órgão e assinou o decreto instituindo o Conselho em ato no seu gabinete, na manhã desta terça-feira (16), com uma expressiva representação civil.

Na solenidade o prefeito também assinou o ofício abrindo o prazo para que as entidades interessadas a participar do processo eleitoral se cadastrem junto ao Ipuf já a partir do dia 17 janeiro (veja todo o cronograma abaixo). Gean explicou que dia 20 no IFSC haverá um detalhamento técnico de como ocorrerá o processo de formação do Conselho, mas o Ipuf está aberto para passar qualquer escalecimento a qualquer hora.  

O presidente do Ipuf, Ildo Rosa falou na reunião que o “instrumento oferece para a sociedade acima de tudo, cidadania”. Ele também salientou que a organização vai ajudar a evitar a judicialização, tão comum na Capital em casos polêmicos, como aconteceu no Plano Diretor. “A responsabilidade de condução dos trabalhos é da prefeitura e do Ipuf, e não nos omitiremos, mas todos vão poder participar”, ponderou.

O presidente da Acif, Luciano Pinheiro, falou em nome das entidades empresariais e elogiou a iniciativa. “O prefeito mostra o que é governar para a cidade e com a cidade. Cada setor com seus interesses precisa colocá-los à mesa e todos veremos o que é mais importante para a cidade”, disse. O presidente da Câmara, Guilherme Pereira (PR) ressaltou que o órgão vai embasar democraticamente as decisões da Câmara. “Precisamos do diálogo e a Câmara espera por isso. Temos projetos na Casa que dependem de um parecer do Conselho da Cidade”, ressaltou.

Também presente na reunião o deputado federal, Mauro Mariani (MDB), que coordenou os trabalhos de elaboração dos conselhos metropolitanos no Congresso Nacional também elogiou a iniciativa. “Quero parabenizar o prefeito Gean por regulamentar e criar o Conselho. É um prefeito conectado com sua cidade, que pulsa com sua cidade”, disse.

Já o prefeito disse que “cada vez mais todos tem que entender que todos são prefeitos”, não fugindo da responsabilidade em ajudar a governar. “O Conselho vem auxiliar, vem legitimar e trazer mais próximo da representação pública aqueles que muitas vezes passam despercebidos”, disse. Ele também grifou o isento processo eleitoral para sua composição, rechaçando qualquer construção “chapa branca”. “O que não queremos é uma uniformidade de ideias. Queremos a divergência de ideias. A cidade cresce na divergência, com pensamentos diversos”, ponderou.

Como vai funcionar a eleição dos membros

As entidades da sociedade civil organizada terão até o dia 9 de fevereiro para fazer sua inscrição para a eleição e assim estarem aptas a eleger seus representantes no Conselho da Cidade. Serão 16 representantes do poder público indicados pelas esferas municipais, estaduais e federais e 24 representantes eleitos pela sociedade civil. “Estamos cumprindo rigorosamente o que especifica o Estatuto da Cidade, especialmente após a importante vitória conquistada pela prefeitura no ano passado, quando retomamos a autonomia para atuar na construção do planejamento urbano de Florianópolis”, destaca o prefeito Gean Loureiro.

Após os prazos e trâmites legais, as eleições dos representantes ocorrem entre 5 e 17 de março entre as instituições cadastradas e homologadas. “A gestão democrática do espaço urbano de Florianópolis somente será possível por meio deste instrumento de participação social que é o Conselho da Cidade, mais do que nunca precisamos pensar a ocupação da capital tecnicamente e a longo prazo”, explica o diretor da região Metropolitana do Ipuf, arquiteto Michel Mittmann.

O Conselho da Cidade é um instrumento de gestão democrática da cidade e seu planejamento urbano, previsto no Plano Diretor e no Estatuto das Cidades. É o espaço de cidadania em que representações do poder público e dos diversos segmentos da sociedade têm a oportunidade de discutir as melhores formas de promover um desenvolvimento urbano adequado.

Cronograma

16/01/2018 – Assinatura do Decreto e lançamento do Edital de Convocação e Cadastramento para o Processo de Eleição da Sociedade Civil Organizada
17/01/2018 a 09/02/2018 – Período de Inscrições das entidades interessadas em participar do processo eleitoral.
20/02/2018 – Publicação do resultado das inscrições homologadas e indeferidas
21/02/2018 a 23/02/2018 – Prazo recursal
01/03/2018 – Homologação final das inscrições
05/03/2018 a 17/03/2018 – Período de eleições
23/03/2018 – Posse das entidades eleitas no Conselho da Cidade
02/04/2018 – Prazo para indicação dos representantes das entidades eleitas e empossada

Entenda o Conselho da Cidade

O que é?

O Conselho da Cidade é um instrumento de gestão democrática da cidade, previsto no Plano Diretor. 
É um espaço de cidadania em que representações do poder público e dos diversos segmentos da sociedade têm a oportunidade de discutir as melhores formas de promover um desenvolvimento urbano adequado.
Assim, atua como órgão superior de aconselhamento para o planejamento, gestão e desenvolvimento urbano.
Tem a finalidade de implementar o Plano Diretor, acompanhar a elaboração dos projetos setoriais, estudar e propor as diretrizes para a formulação e implementação da Política Municipal de Desenvolvimento Urbano, bem como acompanhar e avaliar a sua execução.

O que faz?

O Conselho da Cidade se manifesta sobre questões relacionadas à Política Municipal de Desenvolvimento Urbano, promovendo o debate e a mediação das demandas da sociedade civil, entidades e organizações presentes no município com os órgãos públicos.

Cabe ao Conselho da Cidade:

  • Acompanhar e avaliar a implantação do Plano Diretor;
    Opinar nos processos de elaboração e alteração de programas, instrumentos, normas e prioridades;
    ● Emitir recomendações;
    ● Estimular a cooperação entre sociedade civil e os órgãos públicos;
    ● Propor a realização de estudos, debates, seminários e encontros;
    ● Estimular o aperfeiçoamento dos mecanismos de participação e controle social;
    ● Propor critérios para a distribuição do orçamento municipal;
    ● Acompanhar a utilização dos recursos do Fundo Municipal de Desenvolvimento Urbano;
    ● Convocar a Conferência da Cidade.

Por que é importante?

  • Para promover a cidadania e a gestão democrática da cidade;
    Para estreitar e fortalecer a relação entre o poder público e sociedade civil;
    ● Para levar as reivindicações da sociedade ao Município;
    ● Para propor sugestões para aprimorar a gestão pública;
    ● Para garantir um espaço de debate da cidade;
    ● Para aconselhar a administração pública na tomada de decisões.

Quem compõe?

Representações do poder público, por meio de indicação, e da sociedade civil organizada, escolhidas em processo eleitoral.

O poder público é representado nas esferas municipal, estadual e federal, representando 40% do total de membros do Conselho.

A sociedade Civil Organizada corresponde a 60% do total de membros do Conselho e é dividida em: 
● Sociedade civil organizada por setores (regiões) do município: associações comunitárias ou de moradores com atuação local. Sua distribuição é baseada no número de habitantes e nas características territoriais de cada região do Município.
● Sociedade civil organizada de abrangência difusa: entidades sindicais de trabalhadores, entidades de classe, conselhos e associações profissionais, entidades acadêmicas e de pesquisa, Organizações Não Governamentais (ONG), fundações privadas, movimentos sociais de abrangência difusa e entidades empresariais.

Eleições 2018

A eleição das entidades representativas da Sociedade Civil Organizada para o biênio 2018-2020 se dará da seguinte forma:
1. As entidades interessadas deverão se inscrever no IPUF, conforme edital.
2. As entidades poderão se cadastrar como candidata à vaga no Conselho da Cidade ou somente como votante na eleição.
3. Serão realizados eventos públicos para eleição das vagas do Conselho.
4. O Prefeito dará posse às entidades eleitas.
5. Após a posse, as entidades indicarão seus representantes.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

Relatos de jacarés fora de seu habitat estão ocorrendo com frequência em Florianópolis, após as chuvas da semana passada. Moradores chamaram os bombeiros para capturar um jacaré de médio porte (foto) em uma casa no bairro Pantanal nesta semana. Na semana passada outro foi capturado na praia de Canasvieiras.

Em função de boatos de que as praias da Capital estavam repletos de animais, a Floram (Fundação Municipal do Meio Ambiente) esclarece que o jacaré do papo amarelo é uma espécie nativa que ocorre nos manguezais e áreas alagadas existentes na Ilha de Santa Catarina.

Recentemente saída da lista de espécies ameaçadas de extinção, a espécie tem se desenvolvido e adaptado bem, especialmente nas áreas protegidas do Município, podendo eventualmente aproximar-se das áreas mais urbanizadas por meio de cursos d'água e aparecer até mesmo próximo às praias, por estas muitas vezes estarem próximas a manguezais e outras áreas alagadas.

Em razão do grande volume de chuva ocorrido na semana passada, alguns animais foram deslocados de seu ambiente natural para algumas áreas fora de seu habitat pela força da correnteza dos rios e inundação de áreas planas. 

A Prefeitura de Florianópolis reforça que não emitiu qualquer alerta sobre a presença de jacarés nas praias da cidade e que, se excepcionalmente, forem encontrados fora do seu habitat, a população deve manter a distância adequada e acionar a Polícia Militar Ambiental no telefone: 190.

Ressalta-se que, se não forem importunados, os jacarés não tendem a atacar nem interagir com os seres humanos, de forma que em nenhuma hipótese deve-se tentar espantar ou agredir os animais  caso sejam encontrados nas áreas urbanas.

Importante destacar que, apesar de a Floram estar ciente da ocorrência e situação da espécie, especialmente nos manguezais da Bacia do Itacorubi e de outras regiões da Ilha, a competência de manejo de animais silvestres é da Fundação do Meio Ambiente do Estado - FATMA.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

A Prefeitura de Florianópolis lança nesta terça-feira (16) o edital para a eleição do Conselho da Cidade. Com este ato, o poder público municipal abre o prazo para que as entidades interessadas a participar do processo eleitoral se cadastrem junto ao Ipuf já a partir do dia 17 janeiro. A assinatura do decreto ocorre no gabinete do prefeito Gean Loureiro a partir das 9h desta terça-feira.

As entidades da sociedade civil organizada terão até o dia 9 de fevereiro para fazer sua inscrição e assim estarem aptas a eleger seus representantes no Conselho da Cidade. Serão 16 representantes do poder público indicados pelas esferas municipais, estaduais e federais e 24 representantes eleitos pela sociedade civil. “Estamos cumprindo rigorosamente o que especifica o Estatuto da Cidade, especialmente após a importante vitória conquistada pela prefeitura no ano passado, quando retomamos a autonomia para atuar na construção do planejamento urbano de Florianópolis”, destaca o prefeito Gean Loureiro.

Após os prazos e trâmites legais, as eleições dos representantes ocorrem entre 5 e 17 de março entre as instituições cadastradas e homologadas. “A gestão democrática do espaço urbano de Florianópolis somente será possível por meio deste instrumento de participação social que é o Conselho da Cidade, mais do que nunca precisamos pensar a ocupação da capital tecnicamente e a longo prazo”, explica o diretor da região Metropolitana do Ipuf, arquiteto Michel Mittmann.

O Conselho da Cidade é um instrumento de gestão democrática da cidade e seu planejamento urbano, previsto no Plano Diretor e no Estatuto das Cidades. É om espaço de cidadania em que representações do poder público e dos diversos segmentos da sociedade têm a oportunidade de discutir as melhores formas de promover um desenvolvimento urbano adequado.

Cronograma

16/01/2018 – Assinatura do Decreto e lançamento do Edital de Convocação e Cadastramento para o Processo de Eleição da Sociedade Civil Organizada
17/01/2018 a 09/02/2018 – Período de Inscrições das entidades interessadas em participar do processo eleitoral.
20/02/2018 – Publicação do resultado das inscrições homologadas e indeferidas
21/02/2018 a 23/02/2018 – Prazo recursal
01/03/2018 – Homologação final das inscrições
05/03/2018 a 17/03/2018 – Período de eleições
23/03/2018 – Posse das entidades eleitas no Conselho da Cidade
02/04/2018 – Prazo para indicação dos representantes das entidades eleitas e empossada

Serviço

O que: Assinatura do decreto que lança a eleição do Conselho da Cidade*

Quando: 16 de janeiro (terça-feira), às 9h*

Onde: Gabinete do prefeito – rua Tenente Silveira, 60 – 5º andar*

Entenda o Conselho da Cidade

O que é?

O Conselho da Cidade é um instrumento de gestão democrática da cidade, previsto no Plano Diretor.
É um espaço de cidadania em que representações do poder público e dos diversos segmentos da sociedade têm a oportunidade de discutir as melhores formas de promover um desenvolvimento urbano adequado.
Assim, atua como órgão superior de aconselhamento para o planejamento, gestão e desenvolvimento urbano.
Tem a finalidade de implementar o Plano Diretor, acompanhar a elaboração dos projetos setoriais, estudar e propor as diretrizes para a formulação e implementação da Política Municipal de Desenvolvimento Urbano, bem como acompanhar e avaliar a sua execução.

O que faz?

O Conselho da Cidade se manifesta sobre questões relacionadas à Política Municipal de Desenvolvimento Urbano, promovendo o debate e a mediação das demandas da sociedade civil, entidades e organizações presentes no município com os órgãos públicos.

Cabe ao Conselho da Cidade:

  • Acompanhar e avaliar a implantação do Plano Diretor;
    ● Opinar nos processos de elaboração e alteração de programas, instrumentos, normas e prioridades;
    ● Emitir recomendações;
    ● Estimular a cooperação entre sociedade civil e os órgãos públicos;
    ● Propor a realização de estudos, debates, seminários e encontros;
    ● Estimular o aperfeiçoamento dos mecanismos de participação e controle social;
    ● Propor critérios para a distribuição do orçamento municipal;
    ● Acompanhar a utilização dos recursos do Fundo Municipal de Desenvolvimento Urbano;
    ● Convocar a Conferência da Cidade.

Por que é importante?

  • Para promover a cidadania e a gestão democrática da cidade;
    ● Para estreitar e fortalecer a relação entre o poder público e sociedade civil;
    ● Para levar as reivindicações da sociedade ao Município;
    ● Para propor sugestões para aprimorar a gestão pública;
    ● Para garantir um espaço de debate da cidade;
    ● Para aconselhar a administração pública na tomada de decisões.

Quem compõe?

Representações do poder público, por meio de indicação, e da sociedade civil organizada, escolhidas em processo eleitoral.

O poder público é representado nas esferas municipal, estadual e federal, representando 40% do total de membros do Conselho.

A sociedade Civil Organizada corresponde a 60% do total de membros do Conselho e é dividida em:
● Sociedade civil organizada por setores (regiões) do município: associações comunitárias ou de moradores com atuação local. Sua distribuição é baseada no número de habitantes e nas características territoriais de cada região do Município.
● Sociedade civil organizada de abrangência difusa: entidades sindicais de trabalhadores, entidades de classe, conselhos e associações profissionais, entidades acadêmicas e de pesquisa, Organizações Não Governamentais (ONG), fundações privadas, movimentos sociais de abrangência difusa e entidades empresariais.

Eleições 2018

A eleição das entidades representativas da Sociedade Civil Organizada para o biênio 2018-2020 se dará da seguinte forma:
1. As entidades interessadas deverão se inscrever no IPUF, conforme edital.
2. As entidades poderão se cadastrar como candidata à vaga no Conselho da Cidade ou somente como votante na eleição.
3. Serão realizados eventos públicos para eleição das vagas do Conselho.
4. O Prefeito dará posse às entidades eleitas.
5. Após a posse, as entidades indicarão seus representantes.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

O Jornal Informe é uma rede de jornais de circulação em Caçador (sede) e Florianópolis 

Editor: Adriano Ribeiro
Telefone: (48) 3733-6977
Plantão: (48) 9922-8133
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.