Fone: (48) 3733-6977 | redacaofloripa@jornalinforme.com.br

 

16/05/2018 17:19

Polícia Civil amplia de 19 para 62 a quantidade de agentes no Setor de Investigação na Capital

por
167 acessos
DIVULGAÇÃO Delegado Geral, Marcos Ghizoni Jr. Delegado Geral, Marcos Ghizoni Jr.

 A Polícia Civil implanta a partir desta quarta-feira, 16, o Plano de Atuação Contra a Violência na Capital. Trata-se de uma série de medidas que vão redirecionar recursos humanos e materiais para ampliar a capacidade de investigação dos policiais civis na Grande Florianópolis. De acordo com o Delegado Geral, Marcos Ghizoni Jr., o plano amplia o poder de investigação da Polícia Civil sem comprometer o atendimento diário à população nas Delegacias. Estudos elaborados pela Diretoria de Polícia da Grande Florianópolis (DPGF) para identificar pontos sensíveis na gestão das unidades policiais revelaram que havia espaço para manter o ritmo dos serviços burocráticos das delegacias de área e ainda ampliar a investigação nas especializadas.

Um dos itens que chamou a atenção durante o análise foi o baixo volume de registros de Boletins de Ocorrência, no período noturno, em algumas delegacias que estão geograficamente próximas. Para evitar a duplicidade do serviço e aumentar o poder investigação – finalidade maior da Polícia Civil – foram criadas seis centrais Regionais de Boletim de Ocorrência (BO), Central de Flagrante na Capital e Norte da Ilha (durante o período de veraneio). “Para se ter uma ideia do que isso representa, em linhas gerais, o remanejamento de policiais para as seis centrais de BO eleva de 19 para 62 agentes na investigação e reduz de 58 para 24 policiais fixos no plantão e de 33 agentes do expediente para 26 policiais”, observa o Diretor da Polícia da Grande Florianópolis, Vérdi Furlanetto, que destaca: "o nosso principal objetivo é triplicar a capacidade investigativa. A logística está sendo feita para atender o máximo de pessoas. A Delegacia de bairro ganhará uma finalidade bem clara, por exemplo, com o atendimento em novo horário: intensificar os inquéritos de pequeno e médio porte, fortalecer o combate a crimes de furto e minar o tráfico de drogas perto de colégios, creches e praças. Delegacias de bairro serão esse elo mais próximo com a população, as especializadas com crimes de maior repercussão. As Centrais de BO prevê, portanto, um atendimento de maior excelência ao público e, nesta sistemática, ampliar o poder investigativo na Capital".

Essas centrais vão absorver as demandas de suas regiões e atenderão a população durante 24 horas. Importante ressaltar que não haverá fechamento de unidades policiais, apenas o horário de atendimento de algumas delegacias será das 12h às 19h (veja quadro abaixo). Fora deste horário o cidadão poderá recorrer à Central de BOs mais próxima de sua residência. A Polícia Civil também disponibiliza uma Delegacia Virtual que pode ser acessada a qualquer momento pelo cidadão.

De acordo com o secretário de Segurança Pública Alceu de Oliveira Pinto Junior essa reorganização faz parte dos esforços reduzir e manter em queda os índices de criminalidade no estado. “Nossos policiais civis são altamente qualificados e os investimentos em inovação, inteligência e tecnologia dão efetividade ao trabalho policial e à segurança pública em Santa Catarina”.

Centrais de Boletim de Ocorrência

Central de BO - Centro: 1ªDPCap (24h) e 5ª DP (12h às 19h) 
Central de BO - Região Continental : 3ª DP Capoeiras (24h ) e 4ª DP Coqueiros (12h às 19h)
Central de BO – Região Norte 7ª DP Canasvieiras (24 h) e 8ª DP Ingleses (12h às 19h)
Central de BO – Região Leste – 10ª DP Lagoa (24 horas) e 2ª DP Saco dos Limões (12h às 19h)
Central de BO – Região Sul – Aeroporto (24 horas)
Central da DPCAMI (Delegacia de Proteção à criança, Adolescente, Mulher e Idoso), na Agronômica (24h).
Central Plantão Policial – CPP – Trindade (24 horas)


Para analisar os resultados obtidos na experiência houve a criação de uma Comissão para Avaliação, Fiscalização e Aprimoramento das Centrais de BO da Capital, que será composta pelos Delegados Thiago Costa (Central Leste e Sul), Delegada Michele Alves Correa Rebelo (DPCAMI), Delegado Alfredo Jose Ballstaedt (Central Centro), Delegado Andre Gustavo Marafiga Costa (Central Continente), Delegado Andre Moretzsohn Portella Da Costa (Central Norte) e um Delegado da Corregedoria.

A Comissão para Avaliação, Fiscalização e Aprimoramento das Centrais de BO da Capital tem a finalidade de avaliar a cada 15 dias o andamento dos trabalhos sobre a nova forma de atendimento ao público e investigação dos crimes de sua atribuição, por meio de fiscalização do funcionamento da referida sistemática de trabalho, com o objetivo de correções de eventuais problemas que surjam durante o processo inicial de trabalho, monitorando o desenvolvimento desta nova forma de trabalho.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

Adriano Ribeiro

Adriano Ribeiro é colunista do Informe e traz informações sobre os bastidores da política e cotidiano de Caçador e Floripa/São José.
Fones: Caçador (49) 8843-4213 - Florianópolis (48) 9922-8133

E-mail: redacaofloripa@jornalinforme.com.br

Twitter: @adrianoinforme

E-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

O Jornal Informe é uma rede de jornais de circulação em Caçador (sede) e Florianópolis 

Editor: Adriano Ribeiro
Telefone: (48) 3733-6977
Plantão: (48) 9922-8133
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.