Fone: (48) 3733-6977 | redacaofloripa@jornalinforme.com.br

 

06/08/2018 17:46

COLUNA DO ADRIANO - Orvino de Ávila costura com o MDB em São José; Katumi quer reduzir honrarias e outras da política local

Orvino costura com o MDB

“Dê o poder ao homem, e descobrirá quem ele realmente é”. A célebre frase do pensador Maquiavel é a mais adequada para a construção de uma análise política sobre o vereador, presidente da Câmara de São José, Orvino Coelho de Ávila (PSD) que por alguns dias - até sexta-feira passada (3) - esteve substituindo a prefeita Adeliana Dal Pont (PSD) no comando da prefeitura de São José.

Durante as férias da prefeita tudo que o grupo político que governa a prefeitura mais combate e tenta manter distância, entrou pela porta e sentou nas cadeiras do gabinete do prefeito. Entre outras figuras demonizadas, os ex-prefeitos Djalma e Dário Berger, este último Senador da República, ambos do MDB.

Corneteiros de plantão comentam que com mais alguns dias no exercício do cargo de prefeito, Orvino levaria ao gabinete até o candidato do MDB ao governo em detrimento do candidato do seu partido, o deputado Gelson Merísio.

Estratégia abre espaços

Os movimentos do presidente da Câmara deixam clara sua estratégia para sentar em definitivo na cadeira de prefeito a partir a partir de 2021: costurar um acordo com a oposição, especialmente o MDB. Além de audiências concedidas aos ex-prefeitos Berger ele ainda concedeu reuniões aos vereadores Michel Schlemper e Sanderson de Jesus, ambos do MDB.

Contudo, esse movimento deixa uma avenida para demais postulantes do PSD que alimentam a intenção de ser o timoneiro do atual grupo político que governo o município, na próxima eleição municipal.

Sem Orvino na jogada, contaminado pela aproximação com a oposição, é aberto um campo imenso para lideranças como a vereadora Méri Hang e o vereador Moacir da Silva, ambos do PSD, sem falar no próprio vice-prefeito Neri do Amaral (PSB), que poderá muito bem ser o nome escolhido para liderar a sucessão de Adeliana. Liderar, sem traição, se é que me entendes...

Orvino e os Berger

Alguns mais desatentos observadores do cenário político local podem ter estranhado a postura de Orvino de Ávila. Não quem conhece com profundidade a política local. Orvino já foi partícipe dos governos de Dário e Djalma. Ocupou cargos e atuou no Legislativo em prol dos interesses dos Berger.  Com a aproximação, Orvino tenta seduzir o MDB para a construção de um futuro projeto. Entretanto, em política, não se beija a mão de dois santos. Obviamente que seus concorrentes, dentro do PSD, saberão como ninguém aproveitar os flancos abertos pelo presidente da Câmara.

R$ 15 milhões em café

Instigante a reportagem que foi ao ar no Jornal do Almoço da NSC, na semana passada, mostrando que os três poderes constituídos em Santa Catarina gastaram ano passado R$ 15 milhões só em café (incluindo ai filtros, açúcar e apetrechos). O material, muito bem elaborado, mostra que apenas o Executivo ainda tenta medidas de contenção, como diminuir compras e os funcionários fazem vaquinha para cobrar o cafezinho. Já na Assembleia Legislativa e no Poder Judiciário é uma verdadeira farra. E o pior, os entrevistados destes últimos dois poderes falaram na reportagem que tudo vai continuar como está. No Poder Judiciária a moça entrevistada chegou a afirmar que o cafezinho é uma pratica comum da repartição e ajuda a aliviar o estresse do cotidiano de trabalho. Chega até a dar náuseas em qualquer trabalhar da iniciativa privada ouvir isso. O que daria para fazer com R$ 15 milhões?

Cadê a faixa de pedestres no Ingleses?

Moradores da região do acesso ao bairro Ingleses, no Norte da Ilha, estão cobrando da prefeitura a instalação da faixa de pedestres. O acesso ganhou reperfilamento da capa asfáltica, numa ação compensatória da empresa Fort Atacadista. Mas, faltou a instalação da faixa de pedestres, de responsabilidade da prefeitura.

Mais transparência na Câmara

Começou muito bem seu mandato na presidência da Câmara Municipal da Capital, o vereador Roberto Katumi (PSD) que substitui Guilherme Pereira (MDB) que está licenciado para concorrer a deputado federal. Na sexta-feira (3) ele promoveu um café da manhã com a imprensa para demonstrar que o poder legislativo local está aberto para passar informações e agir da forma mais transparente possível.

Afirmou que no mínimo de dois em dois meses a Mesa Diretora estará se reunindo com a imprensa para esclarecer assuntos da Casa. Algumas medidas, como a publicação no site da Casa dos pareceres jurídicos dos projetos de lei em tramitação e a redução das cópias, através da digitalização dos documentos, também são pontos destacados pela nova direção da Casa.

Outra estratégia do novo presidente é focar em grandes metas. Os vereadores já foram reunidos para que dois ou três temas de relevante interessa da cidade, como por exemplo, a Marina na Beira-mar ou o projeto dos Uber, possam ter uma definição na Câmara. Assim, a Casa deixará de ser notícia só em temas desgastantes e passará para a sociedade a sensação de foco nos assuntos que realmente interessam ao cidadão.

Concurso

Durante o encontro com a imprensa, o presidente da Câmara, Roberto Katumi (PSD) adiantou que terá que abrir concurso público no Poder Legislativo, possivelmente neste segundo semestre. Se faz necessário até para eliminar desvios de funções e repor funcionários que se aposentam. Atualmente a Casa tem 66 funcionários aposentados e 134 ativos, mas a média de idade de trabalho está superior a 30 anos. Estudos estão sendo realizados, mas já se sabe que até o final da atual legislatura em torno de 50 funcionários estarão aptos a se aposentar. Certos setores poderão ficar sem nenhum funcionário, caso o concurso não seja chamado para ter candidatos novos aprovados para a reposição da vaga.

Corte nas honrarias

Outra medida que está tendo a atenção do presidente Roberto Katumi (PSD) é a redução da quantidade de honrarias que são distribuídas pelo Legislativo Municipal. Algumas medidas estão sendo estudadas, como unificar a entrega das honrarias para o dia 23 de março (aniversário do município) e somente o vereador titular ter direito a honrarias (caso o vereador suplente assuma, a quantidade de honrarias no gabinete ficará a mesma). A medida depende de mudança no Regimento Interno. A maioria dos vereadores é favorável à ação.

Vereadores candidatos

Seis vereadores de Florianópolis vão tentar a sorte na eleição deste ano. Concorrem a deputado federal Lino Peres (PT), Afrânio Boppré (PSOL) e Guilherme Pereira (MDB). Concorrerem a deputado estadual, Erádio Manoel Gonçalves (PR), Bruno Souza (PSB) e Marquito (PSOL). Dos seis, até o momento, apenas Guilherme Pereira se licenciou para se dedicar integralmente à campanha que começa dia 15 de agosto.

Tucano revoltado

As sessões ordinárias da Câmara da Capital retornaram do recesso nesta segunda-feira (6). Logo a primeira sessão pós-convenções estaduais para escolha dos candidatos nas eleições deste ano já teve polêmica entre os vereadores. O vereador Maikon Costa (PSDB), usando a tribuna, criticou duramente a aliança formalizada pelo seu partido com o MDB. O vereador Tiago Silva (MDB) discordou e rebateu elogiando a chapa. “Tanto o deputado Mauro Mariani quanto o ex-prefeito Napoleão são dois novos na política de renovação”, comentou Tiago, salientando que o vereador Maikon não pode falar em nome do partido.

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK: INFORME FLORIPA

Adriano Ribeiro

Adriano Ribeiro é colunista do Informe e traz informações sobre os bastidores da política e cotidiano de Caçador e Floripa/São José.
Fones: Caçador (49) 8843-4213 - Florianópolis (48) 9922-8133

E-mail: redacaofloripa@jornalinforme.com.br

Twitter: @adrianoinforme

E-mail Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

O Jornal Informe é uma rede de jornais de circulação em Caçador (sede) e Florianópolis 

Editor: Adriano Ribeiro
Telefone: (48) 3733-6977
Plantão: (48) 9922-8133
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.