Leonel Camasão é o novo presidente do PSOL Florianópolis

Ele foi eleito pela chapa "PSOL de Todas as Lutas", com quase 77% dos votos, durante o 2º Congresso Municipal do partido.

0
758

O jornalista Leonel Camasão, 35 anos, retornará ao comando do PSOL Florianópolis. Ele foi eleito pela chapa “PSOL de Todas as Lutas”, com quase 77% dos votos, durante o 2º Congresso Municipal do partido.  Ao todo, a chapa recebeu 20 votos dos 26 delegados presentes no encontro.

Será a segunda vez que Camasão comandará o PSOL na capital. Eleito no final de 2017 para um mandato de dois anos e meio, ele acabou ficando no cargo até setembro de 2020, por conta da pandemia. Ele se afastou para disputar uma cadeira na Câmara de Vereadores e desde então, Rebecca Neto ficou na presidência do PSOL na capital.

A chapa vencedora, composta pelas teses “PSOL Popular, Democrático e Socialista”, “PSOL Popular, Militante e de Massas” e “PSOL Semente” terá direito a seis das sete cadeiras na Executiva Municipal do partido, além de 12 de 15 vagas no Diretório Municipal.

Inicialmente, a chapa pretendia indicar Rebecca Neto para um novo mandato. Coordenadora da campanha à Prefeitura de Elson Pereira, ela ganhou destaque nacionalmente ao coordenar a agenda da então candidata a vice-prefeita de São Paulo, Luiza Erundina, no 2º turno. Agora, Rebecca foi eleita para a Executiva Nacional do PSOL, e deverá se mudar para São Paulo em 2022.

PSOL no caminho certo

O 2º Congresso do PSOL Florianópolis foi prestigiado por lideranças dos partidos aliados, como o PT, PCdoB, PSB, UP, REDE, PCB e IC. O presidente estadual do PSOL-SC, Mário Dutra, também participou do encontro, assim como os vereadores da capital Afrânio Boppré, Marquito e Coletiva Bem Viver.

Camasão destacou que, nos últimos quatro anos, o PSOL Florianópolis se tornou um dos partidos que mais crescem na cidade e o principal partido de oposição ao governo Gean Loureiro (UB). Também lembrou as expressivas votações obtidas pelo partido nas eleições de 2018 e 2020. “Nossa principal tarefa é consolidar o PSOL como principal partido de esquerda na cidade”, avaliou.

O Congresso também aprovou duas resoluções políticas. A primeira faz uma análise da conjuntura da cidade, destacando o papel do PSOL na oposição, o autoritarismo da atual gestão municipal e as mudanças que se avizinham com uma possível renúncia de Gean Loureiro para concorrer ao governo do Estado.

O segundo texto faz um balanço da gestão do PSOL nos últimos quatro anos e indica quais as principais tarefas organizativas são necessárias para o partido se consolidar como maior sigla de esquerda da cidade.

Na próxima semana, as chapas devem se reunir para indicar os demais membros da direção municipal.

Quem é Camasão

Mestre em jornalismo pela UFSC, Leonel Camasão tem 35 anos. Foi diretor do Sindicato dos Jornalistas por nove anos. É bissexual, ativista de direitos humanos e concorreu ao governo de Santa Catarina em 2018 pelo PSOL. Atualmente, é suplente na Câmara Municipal de Florianópolis.

Leia as resoluções aprovadas

Conjuntura Municipal [1]
Balanço e Construção Partidária [2]