Projeto de lei visa acabar com coleta seletiva pirata em Florianópolis

Secretário Fábio Braga entregou texto na manhã de quarta ao presidente da CMF, Roberto Katumi

0
633
Crédito imagens: Karla Silveira/Divulgação CMF

O secretário municipal do Meio Ambiente da Prefeitura de Florianópolis, Fábio Braga, deixou confiante a Câmara Municipal de Vereadores na quarta-feira (27) com a possibilidade de aprovação de lei que garanta a defesa ambiental na coleta e triagem de recicláveis em Florianópolis. O projeto conta com apoio das associações de catadores, que compareceram à entrega, e tem duas vertentes: garantia de emprego e renda formais e destino ambientalmente correto para os recicláveis.

Com a pandemia, em todas as cidades do Brasil, aumentou muito a coleta clandestina e pirata que, infelizmente, não consegue garantir a destinação adequada dos recicláveis nem dos rejeitos que também são produzidos pela coleta seletiva.

“O clima do planeta está em alerta, não temos mais tempo, a defesa ambiental é pra já”, comenta Fábio Braga. O projeto do Executivo garante a coleta pública e destino final adequado aos recicláveis, promove e defende emprego e renda formal nas associações de catadores e triadores. “Temos de retirar os atravessadores, piratas e reviradores dos resíduos para que as metas lixo zero sejam efetivas na cidade”, afirma o secretário.

Na audiência, o presidente Roberto Katumi disse que na quarta-feira que vem o projeto vai tramitar na Comissão de Constituição e Justiça e, na sequência, de forma simultânea pelas demais comissões, de forma que possa se converter em lei ainda este ano.