Janeiro Verde- Vacina do HPV previne cancêr

Distribuída no SUS e na rede privada, dose contra HPV combate câncer de colo de útero.

0
331

A ciência ainda não descobriu a cura para o Câncer, mas já se sabe como prevenir alguns tipos da doença. O Câncer de Mama é o que mais mata no Brasil, mas não é o único que preocupa. A Campanha do Janeiro Verde combate ao câncer de colo de útero, que é o terceiro tumor maligno mais frequente entre as mulheres.

Milhares de casos de câncer de colo de útero são diagnosticados todos os anos no Brasil, praticamente 100% são causados pelo HPV. A infecção pelo papiloma vírus humano, o HPV, atinge homens e mulheres, são mais de 150 tipos. Atenção para um detalhe, o HPV não produz sintomas ou sinais visíveis, por isso qualquer um pode se infectar ou transmitir o vírus sem saber.

A forma mais eficaz de prevenir é com a Vacina contra o HPV – o papiloma vírus humano. Ela é distribuída na rede pública pelo SUS, e na rede particular em clínicas de imunização.

A vacina oferecida pelo SUS é a quadrivalente, que protege contra os 4 tipos de vírus HPV mais comuns no Brasil. Está disponível gratuitamente nos postos de saúde, aplicada em 2 doses, para Meninos e meninas dos 9 aos 15 anos incompletos, como uma medida de prevenção. Para pessoas acima de 15 anos, a vacina está disponível na rede privada.

Na Primme Vacinas, que tem salas de imunização em Florianópolis, São José, Palhoça e Balneário Camboriú, a aplicação é realizada para meninos e meninas entre 9 e 26 anos de idade, com a vacina nonavalente. Para meninas e mulheres entre 9 e 45 anos de idade, se for a vacina quadrivalente. Para meninos e homens entre 9 e 26 anos de idade, com a
vacina quadrivalente. A enfermeira Amanda Fernandes reforça a importância dessa vacinação.

“Ainda pouco conhecida, a Vacina do HPV ajuda o corpo a produzir os anticorpos necessários para combater o vírus e assim, caso a pessoa seja infectada, ela não desenvolve a doença, pois está protegida”, explica Amanda.

Além da Vacina, o diagnóstico precoce ajuda no tratamento, para isso é importante fazer o acompanhamento médico.