GREVE: TJ bloqueia R$ 100 mil de sindicato, aumenta multa diária para R$ 300 mil e autoriza desconto em grevistas

A decisão veio após uma sexta-feira de atos ilegais por parte do sindicato

0
494
Greve deflagrada nesta quarta (9)

Em nova decisão na noite desta sexta-feira, 11 de fevereiro, o Tribunal de Justiça de Santa Catarina bloqueou R$ 100 mil reais do Sindicato dos Trabalhadores Municipais (Sintrasem) por descumprimento da medida judicial de quinta-feira. Além disso, a decisão majorou a multa para R$ 300 mil por dia de descumprimento, autorizou a Prefeitura a iniciar descontos de grevistas, abrir sindicância para processo administrativo disciplinar e determinou abertura de sindicância pelo Ministério Público para investigar ilícito por parte do sindicato.

A decisão veio após uma sexta-feira de atos ilegais por parte do sindicato. Mesmo com a decisão judicial proibindo a paralisação e o tumulto próximo a prédios públicos, o Sintrasem ignorou a justiça, manteve a greve e fez manifestação em frente a Prefeitura, a Câmara de Florianópolis e, não satisfeitos, jogaram sacos de lixo nos prédios públicos.

A Prefeitura de Florianópolis estima que menos de 20% dos servidores das áreas da Saúde, Educação e Assistência Social aderiram à greve, mantendo a maior parte do serviço ativo. Já na Comcap, muitos servidores seguem trabalhando e a Prefeitura já contratou novas equipes terceirizadas para atuar nas áreas de responsabilidade da autarquia. Durante o final de semana, um mutirão vai tentar mitigar o acúmulo de lixo nos bairros afetados. As regiões do Norte da Ilha e Continente seguem com coleta normal, já que são de responsabilidade de empresa privada. Já a vacinação e a testagem via Secretaria de Saúde seguem acontecendo normalmente.

VEJA O DESPACHO NA ÍNTEGRA:3F9C5FD3-63B5-42D2-950C-6EE4620556E0

LEIA MAIS SOBRE O ASSUNTO:

Servidores da prefeitura de Florianópolis e da Comcap entram em greve

Greve de servidores municipais em Florianópolis é ilegal, decide justiça