Katana, do Veleiros da Ilha, é campeão do 33º Circuito Oceânico

Com duas vitórias nas três regatas desta sexta, os catarinenses não podem mais ser alcançados na classificação geral

0
777
Katana (foto) levou o título. Crioula foi o campeão da ORC e Garrotilho na RGS. Competição segue neste sábado com últimas regatas - Fotos: Gabriel Heusi/Heusi Action

O Katana/Portobello, do Veleiros da Ilha, conquistou o título do 33º Circuito Oceânico, realizado desde terça-feira, em Juerê. Com duas vitórias nas três regatas desta sexta, os catarinenses não podem mais ser alcançados na classificação geral. São 11 pontos contra 16 do Caballo Loco, vice-líder.

Com uma tripulação formada por atletas experientes, a equipe do Katana contou com o reforça de dois velejadores olímpicos do Iate Clube de Santa Catarina: Bruno Fontes e André “Bochecha” Fonseca. “O Campeonato teve muita emoção. Montamos uma bela tripulação e arrumamos o barco para poder competir. Muito contente em vencer”, disse Bochecha. “Muito bom estar do lado do Bochecha e de toda equipe. Unimos a mesma equipe do ano passado, trabalhamos a madrugada toda no barco e o título foi sofrido, mas muito valoroso”, completou Bruno.

O título tem ainda mais importância para o Katana, comandado por Cesar Gomes Neto, pois o Circuito Oceânico vale também como primeira etapa do Campeonato Brasileiro de C30. A decisão será em Ilhabela, no mês de julho.

Crioula 52 é campeão brasileiro de ORC

Na classe ORC, também valendo como Campeonato Brasileiro, o título foi para o Crioula 52, de Porto Alegre. Com vitórias em todas as regatas do Circuito, a tripulação do Veleiros do Sul. Comandados por Eduardo Plass, a tripulação mostrou que a experiência faz toda diferença. Entre os velejadores, o atleta olímpico Samuel Albrecht exerceu a função de tático.

“Velejar em Florianópolis é sempre incrível. A raia é uma das melhores do Brasil e a equipe conseguiu exercer um ótimo trabalho. Estamos contentes com os desempenhos em Punta e agora em Florianópolis”, disse Samuel, que permanece no Veleiros da Ilha treinando com Gabriela Nicolino, sua parceira na classe Nacra 17, visando os Jogos Olímpicos em 2024.

Garrotilho comemora título na classe RGS 

Com cinco vitórias em seis regatas, o Garrotilho, do Veleiros da llha, comemorou o título da RGS Geral por antecipação. A equipe catarinense contou com o velejador Julio Jordani, como atleta mirim. Julio é atleta de Optimist do Iate Clube de Santa Catarina e gostou muito da oportunidade de velejar em uma embarcação de Oceano.

Com 14 anos, Julio faz parte do projeto social do clube.”Difícil, barco bem rápido. Começamos ganhando, foi só manter, foi divertido”, disse o jovem que correu pela terceira vez de Vela de Oceano: “Aprendendo muito, faz muita diferença, aprendi tática, olhar para fora”. O menino agora foca na disputa da Seletiva de Optimist, a classe de entrada da Vela, onde tentará vaga no Campeonato Europeu.

Pela Classe HPE30, O Ximango, embarcação do Veleiros do Sul comandada por Paulo César Gonçalves, já garantiu o título da competição. Mesma situação do Sossegado, do Comandante Marco Hidalgo – GVI (SP) , na classe RGS Cruzeiro A, Mako IV na RGS Cruzeiro B, comandado por Alex Fazzini – Veleiros da Ilha (SC), e ArCaFer, de Jair Dutra, na Bico de Proa Cruzeiro.

Na classe Bico de Proa, a disputa será na última regata, entre Livre e Mokai. Entre os Multicascos, o Dadu, do Comandante George Lima – Aratu Iate Clube (BA), foi o vencedor e na classe Star a dupla 7 Admar Gonzaga e Ronald Seifert levou o título.

As últimas regatas do 33º Circuito Oceânico estão previstas para esse sábado, a partir das 12h, em Jurerê. Os resultados estão disponíveis através do link icsc.regatas.ar.

O 33º Circuito Oceânico da Ilha de Santa Catarina faz parte do Projeto Calendário Náutico 2021/2022- Cidade de Florianópolis – ano 5 – Nº SLIE: 1915566-29 – Processo nº 71000.042677/2019-81, que conta com os patrocínios das empresas Nortox, Engie Energia, Clemar, Cropchem, Casas D´Água, Quantum, Fecoagro e Honda Enjin e e ainda do patrocinador pessoa física Sr. Umberto Gobbato.