CEI Santa Inês implanta projeto de educação ambiental

Destino sustentável a resíduos orgânicos, compostagem e horta viram prática no Centro de Educação Infantil.

0
309
Fotos: Bia de Liz/Secom PMSJ

Os resíduos orgânicos do Centro de Educação Infantil (CEI) Santa Inês, localizado no bairro Areias, terão um destino sustentável. Com apoio da Secretaria Municipal de Educação de São José, a unidade começou a implantar nesta semana o projeto de educação ambiental.

Os profissionais do CEI Santa Inês receberam na terça (22) e na quarta-feira (23) orientações sobre os resíduos orgânicos que podem ser reciclados com compostagem, e com pneus e serragem iniciaram o processo de compostagem pelo Método Lages. “

Escolhemos essa técnica pela praticidade e eficiência. A orientação é separar cascas e talos de folhas e frutas, utilizando pneus como canteiros e depois cobrir com serragem ou restos das podas do jardim. Assim não dá cheiro e acelera o processo de decomposição. Uma vez ao dia é recomendado fazer furos nesse material para facilitar a entrada de oxigênio. Em cerca de 15, 20 dias, esse material deve se transformar em uma terra fértil para receber hortaliças ou flores”, resumiu a assessora pedagógica da educação ambiental, Yasmin Nascimento.

Animados, os professores afirmaram que vão juntar também os resíduos orgânicos domésticos para a compostagem. “Já vou me programar para separar na minha casa e trazer toda semana. Com certeza vai ser uma experiência incrível para as crianças porque elas vão entender esse ciclo e se beneficiar com as hortaliças e as flores que vamos colher
futuramente”, opinou a auxiliar de sala Rita de Cássia Pereira da Silva.

CULTURA AMBIENTAL

Para a diretora do CEI Santa Inês, Gabriela Subtil, a iniciativa vai contribuir com a cultura ambiental que a unidade está ensinando para os alunos e incentiva práticas sustentáveis na própria comunidade. “Nós começamos também a separar e destinar corretamente o papel e o plástico em parceria com um catador. Além disso, mobilizamos a comunidade nessa iniciativa da compostagem ao pedir os pneus para uma borracharia e a serragem em uma madeireira. Com atitudes simples, vamos nos tornando cada vez mais sustentáveis”, contou.

A meta da Secretaria Municipal de Educação é implementar a gestão de resíduos sólidos em no mínimo 40 unidades escolares neste ano letivo. A proposta inclui reciclagem dos resíduos orgânicos, compostagem e horta. “Nossas unidades educacionais precisam ser referência em educação ambiental porque as crianças e os estudantes aprendem pela
prática e pelo exemplo”, avaliou a secretária Municipal de Educação, Ana Cristina Hoffmann.

O projeto-piloto já começou com sucesso no ano passado no CEI Luar. “Focamos neste momento nos resíduos orgânicos porque representam a maior quantidade de material destinado para a coleta que pode ser reaproveitado. Essa consciência vai além da questão ambiental, porque o Município paga para coletar, para transportar e para enterrar”,
citou a assessora pedagógica da Secretaria Municipal de Educação, Ana Paula Dores Ramos.