Gabinete Gestão Integrada debate violência doméstica e pessoas em situação de rua

Grupo trabalha ações coletivas para São José e estuda também mapear as APPS com uso de drones.

0
399
Fotos: Jeferson Regis/Secom PMSJ

O Gabinete Gestão Integrada (GGI) debateu, nesta quarta-feira (9), medidas na área da Assistência Social de São José,  também ações coletivas dos órgãos de segurança do município e Estado quanto à violência doméstica e também a situação dos moradores de rua. Ainda trataram do mapeamento de Áreas de Preservação Permanente (APPs) com o uso de drones, projeto em fase de estudo.

Intermediado pela Secretaria de Segurança, Defesa Social e Trânsito, a reunião que ocorre todos os meses teve a participação da Polícia Militar, Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), Corpo de Bombeiros e Guarda Municipal também participaram da reunião.

A violência foi um dos assuntos abordados na reunião do GGI. A diretora de Proteção Social de Média Complexidade, Marla Sacco Martins, expôs dados sobre atos de violência no município. “Um exemplo são os casos de violência doméstica em São José, 40% deles
não são denunciados. Precisamos romper esses padrões de violência e encontrar um caminho para reverter este cenário”, afirma.

Marla também trouxe informações sobre a população em situação de rua no município. Segundo dados levantados pelo Centro POP, 60 usuários são atendidos por dia no local. O número entra em sintonia com outro dado apresentado, que afirma que 202 pessoas foram
direcionadas de volta para as suas famílias nos respectivos lugares em que nasceram.

PREVENÇÃO

Em pauta, entre outros temas debatidos, o secretário de Segurança de São José, Vânio Dalmarco, informou a adequação do GGI ao Plano Nacional de Segurança Pública. “Com esta regulamentação nos moldes da legislação será possível obter o acesso a imagens de satélites e outros recursos que irão auxiliar e fazer nosso trabalho avançar”, destacou Dalmarco.

Um levantamento para aquisição de drones para monitoramento aéreo de regiões também está em estudo. O objetivo é mapear áreas de difícil acesso na região e identificar invasões de terrenos em Áreas de Preservação Permanente (APPs). O Corpo de Bombeiros será o
responsável pela pesquisa e apresentação dos aparatos.

Com o enfoque em desenvolver ações preventivas e trabalhar a integração dos órgãos de segurança nas comunidades, o GGI na próxima reunião apresentará uma ação coletiva envolvendo as crianças de comunidades carentes de São José.