Taekwondo: Bairro educador é ouro e prata

Estudantes do programa da Prefeitura de Florianópolis conquistaram 12 medalhas no primeiro torneio que participaram

0
546

Uma quarta-feira à noite, dia 15 de março, sala de treinos no topo do Morro Mocotó, em Florianópolis, no autoproclamado reencontro da vitória. O sorriso estampado no rosto do professor de taekwondo do Programa Bairro Educador Israel Moura personificava o retrato da felicidade pelo fato de seus estudantes terem conseguido um feito histórico: sair como destaque de um torneio da modalidade de cunho estadual chancelado pela Federação Catarinense de Taekwondo.

Não era para menos. Suas equipes das sedes do Monte Cristo e Morro do Mocotó fecharam a competição em primeiro lugar na classificação geral com 12 medalhas no peito, sendo seis de ouro e seis de prata.

O 8º Gaivota Open de Taekwondo reuniu dia 12 de março, no município de Balneário Gaivota, os principais competidores do Estado e Florianópolis saiu como destaque na categoria infantil. Foi campeã geral ao ser representada pelos estudantes do Bairro Educador como grande protagonistas.

Para se ter uma ideia da qualidade técnica dos lutadores duas finais foram realizadas só com atletas do Programa Bairro Educador. Na final masculina Marcos Vinícius Abel Silva, de 11 anos, da sede Monte Cristo, venceu Wallace Ruan de Farias, 10 anos, da sede do Morro do Mocotó. Ouro e prata para o Bairro Educador, programa da Prefeitura de Florianópolis, por intermédio da Secretaria de Educação.

Já na final feminina, duas estudantes do Monte Cristo, de 14 anos, entraram no tatame para medir forças. Melhor para Ana Clara Abel Silva, que faturou a medalha de ouro após vencer a amiga Luz Braska Alejandra.

Além de Marcos Vinicius e Ana Clara, também conquistaram medalha de ouro: José Manoel Alejandro, 11 anos, do Monte Cristo; e pela sede do Morro do Mocotó, Cesár Marcelo Castro Soares, 11 anos; Ryan Renne Farias Soares,12 anos.

No rol dos medalhistas de prata, além dos vice-campeões Wallace e Luz Braska estiveram: Carlos Guilherme Vieira da Silva, 8 anos; e Robson Alessandro Costa Silva, 12 anos, ambos do Morro do Mocotó; e Fernando Herick Porfírio, 13 anos; e Melani Arias, 11 anos, da sede Monte Cristo.

Na categoria adulto, Gustavo Barros, 26 anos, foi medalha de ouro. Ele é do Mocotó.

ABRINDO JANELAS

Para o professor Israel Moura as 12 medalhas conquistadas têm um simbolismo fantástico, pois vêm de crianças de comunidades com histórico de vulnerabilidade social como o Morro do Mocotó e Monte Cristo, mostrando que um programa social chamado Bairro Educador já colhe frutos de suas ações pedagógicas por meio da educação e do esporte.

“A conquista das medalhas é o resultado do esforço deles, da disciplina nos treinamentos. Representa o primeiro passo, a primeira conquista em nível competitivo, que servirá de motivação para muitas outras que virão”, acredita Moura.
Conforme o educador, as vitórias demonstram o que já se sabia sobre o esporte quando ele é utilizado de forma pedagogia. “Já está provado que não existe melhor ferramenta de inclusão social que o esporte. E o esporte, especificamente o taekwondo, vem abrindo janelas para eles se desenvolverem social, física e até economicamente, já que bolsas atletas estão sendo implantadas e eles podem se beneficiar com isso”.

ESPORTE FAZ A DIFERENÇA

Segundo o superintendente do Bairro Educador, Bruno Becker, o resultado da competição é a confirmação de que o esporte como atividade complementar à educação faz a diferença na vida das crianças. “Não sabemos se eles serão atletas profissionais um dia, mas temos certeza de que eles vão poder ser quem eles quiserem, pois o Bairro Educador dá a eles as ferramentas necessárias para isso. Apoio Pedagógico, esporte e cultura. Mais do que oportunidades, é a garantia de direitos através da prefeitura municipal de Florianópolis.”

A REALIDADE PROPORCIONA SURPRESAS

Entre os atletas, os pódios no primeiro torneio competitivo foi um misto de emoção, nervosismo e realização de sonhos. “Nem no meu melhor sonho imaginava conquistar uma medalha de ouro. Fiz a final com minha amiga Luz Braska e nos treinos ela me batia muito forte e sempre me ganhava e quando entrei no tatame com ela achei que ia perder”, confessa a campeã Ana Clara, admitindo que o esporte do Bairro Educador vem transformando sua vida no bairro Monte Cristo.

“Essa conquista foi muito importante pra mim. Entrei na final bastante nervoso e essa competição foi um grande aprendizado para minha vida. O Bairro Educador está fazendo agente crescer na vida”, revela o medalhista de ouro José Alejandro.“Senti uma felicidade imensa ao ganhar a medalha de ouro. Foi resultado de muito treino”, admite Marcos Vinícius. “Gosto do Programa Bairro Educador porque ele nos dá a chance de aprender a lutar e a conhecer também outras modalidades esportivas”, completa o campeão César Marcelo.

ALEGRIA DE MÃE

Luna Soares, mãe de César, que acompanhava o reencontro dos campeões no Mocotó, é só elogios ao Programa Bairro Educador. “O Programa, além da oficina gratuita, que melhora a qualidade física e mental dos estudantes, tem professores maravilhosos e esta fomentando em meu filho valores que acho extremamente importantes na vida de um adolescente, como disciplina, respeito. Meu filho, depois de participar do taekewndo, se tornou uma pessoa mais estável emocionalmente”, revela Luna.

OFICINAS DO BAIRRO EDUCADOR

O Programa Bairro Educador é uma iniciativa da Prefeitura de Florianópolis, por intermédio da Secretaria Municipal de Educação e do Instituto Escola de Esporte Cidadã. Na sede do Mocotó o Programa oferece também as oficinas de apoio pedagógico, defesa pessoal, futebol 7, fotografia, grafite, dança jazz, teatro e dança zumba. Já no Monte Cristo são oferecidas apoio pedagógico, basquete 3×3, futsal, grafite, handebol, jiu-jitsu, sket, rap, dança zumba e jazz e teatro. O Programa também está presentes no Monte Verde e Morro da Mariquinha.