Polícia investiga comércio clandestino de animais silvestres e cumpre mandado de busca em Florianópolis

O morador não possuía a documentação específica exigida pelos órgãos ambientais competentes para estar na posse do animal

0
220

A Polícia Civil, por intermédio da Delegacia de Investigação de Crimes Ambientais e Crimes contra as relações de Consumo (DCAC) da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEIC/PCSC), cumpriu na sexta-feira (13), um mandado de busca e apreensão em uma residência no bairro Ingleses, em Florianópolis.

A ação teve o objetivo de instruir um inquérito policial instaurado pela delegacia especializada, que apura a prática de crime ambiental, supostamente cometido por rede social, contra a fauna silvestre previsto na Lei n. 9.605/98, em especial o mercado clandestino de “cobras”, aquele realizado sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente.

No local, os policiais civis da DCAC localizaram em um dos cômodos da casa, mantida em cativeiro num “terráreo” (recipiente de vidro em forma de aquário) um animal da espécie Corn Snake (cobra do milho), conhecida cientificamente por Pantherophis guttatus.

O morador não possuía a documentação específica exigida pelos órgãos ambientais competentes para estar na posse do animal. O investigado foi interrogado no procedimento policial e teve o seu aparelho celular apreendido para a realização de perícia técnica da Polícia Científica, mediante a devida autorização judicial. Depois, o homem foi liberado.

O animal foi encaminhado ao Centro de Triagem de Animais Silvestre de Santa Catarina (CETAS – SC) para o devido destino. As investigações prosseguem.