Prefeitura entrega ciclovia e passeio ao longo da Via Expressa Sul

Obras integram a primeira etapa da transformação da rodovia em Beira-Mar Sul

0
373

A Prefeitura de Florianópolis entregou neste domingo (22) a ciclovia e o passeio implantados ao longo da Via Expressa Sul. As obras conduzidas pela Secretaria de Infraestrutura, através da Operação Asfaltaço, integram a primeira etapa da ampla revitalização e requalificação por que passa a rodovia para transformá-la em Beira-Mar Sul.

No ato simbólico que marcou a entrega das obras, realizado na Via Expressa Sul, a administração municipal autorizou a deflagração de processo licitatório para contratação da empresa que vai executar a nova iluminação pública da rodovia no prazo de seis meses. O investimento foi orçado em R$ 6.007.629,97.

A Via Expressa Sul, a Rodovia Governador Aderbal Ramos da Silva (SC-401), fica entre o túnel Antonieta de Barros, no Saco dos Limões, e o trevo da Seta, na Costeira do Pirajubaé, na região central da cidade, e tem 5,2 quilômetros de extensão. Ela ganhou ciclovia bidirecional (com duas faixas em sentidos contrários) e passeio (calçada) com acessibilidade, em seu lado esquerdo, na direção do Sul da Ilha.

A ciclovia é de concreto armado e tem conexões para outras duas importantes vias locais, a Avenida Professor Waldemar Vieira, no Saco dos Limões, e a Avenida Governador Jorge Lacerda, na Costeira do Pirajubaé. Já o passeio, conta com rampas de acesso e piso tátil guia e alerta voltado a pessoas com deficiência. Detalhe: tanto a ciclovia quanto o passeio vão receber iluminação similar à da Beira-Mar Norte.

Nesta primeira etapa das obras, que representaram um investimento de R$ 10.984.730,62, a Via Expressa Sul foi repavimentada nos 10,4 quilômetros correspondentes às duas pistas de mão dupla da rodovia – sendo que cada pista tem três faixas, somando seis faixas. Assim como teve a sua sinalização horizontal renovada. Mas, antes disso, ganhou sistema de drenagem nos oito pontos da via onde se fazia necessário, a fim de evitar acúmulo de água da chuva nas pistas, e fresagem (raspagem do asfalto velho) para maior aderência da nova capa asfáltica.

“A Via Expressa Sul caminha para sua transformação em Beira-Mar Sul. O novo pavimento asfáltico é mais condizente ao tráfego pesado, a ciclovia e o passeio permitem que ciclistas e pedestres se desloquem com segurança, e o paisagismo em execução garantirá um charme a mais, além das belezas naturais da região”, enfatiza o prefeito Topázio Neto. E o secretário de Infraestrutura, Valter Gallina, recorda: “A Via Expressa Sul estava em situação lastimável. Apesar de ser uma rodovia estadual, a Prefeitura solicitou a municipalização provisória, executou todas as melhorias necessárias e a requalificou. Deu dignidade e autoestima a todos os moradores do Sul da Ilha e seus turistas”.

As obras foram executadas pela Planaterra Terraplanagem e Pavimentação Ltda.

Paisagismo e limpeza

Parte do tratamento paisagístico que está em execução pela Fundação Municipal do Meio Ambiente (Floram) também já pode ser contemplada. É que nos canteiros da Via Expressa Sul foram plantadas 36 mil mudas ornamentais e árvores nativas e frutíferas. E o serviço já foi executado entre o túnel Antonieta de Barros e a Creche Hassis, trecho em que foram abertos 43 novos canteiros e plantadas em torno de 10 mil mudas de flores e cerca de 230 árvores. Na próxima semana vão ser plantadas mais 97 árvores e será feita a abertura de mais seis canteiros, cada um com 1.200 mudas de flores. Com o plantio “vem sombra, vem oxigênio, vem fauna, vem flora, vem cor”, celebra o secretário do Meio Ambiente, Fábio Braga.

Além do que a rodovia passou a dispor de serviço de limpeza pública contínuo, inclusive, com o reforço de uma roçadeira mecânica e de uma capinadeira automatizada para auxiliar o trabalho manual das equipes. Prova disso são os meios-fios capinados, e os três canteiros centrais, podados e roçados, de forma rotineira.

Mobilidade

Vale destacar a importância que a Via Expressa Sul tem para a mobilidade da cidade. Afinal, é o principal acesso ao Sul da Ilha, e, assim sendo, ao novo aeroporto, o Floripa Airport, e ao estádio Aderbal Ramos da Silva, bem como uma região cada vez mais procurada para moradia e negócios. A rodovia, aliás, é considerada de tráfego pesado, uma vez que de 400 a dois mil caminhões e ônibus transitam por ela diariamente, por faixa.

Já a malha cicloviária de Florianópolis mais que dobrou em cinco anos. Atualmente, ela totaliza 185,37 km, sendo que 108,83 km foram feitos a partir de 2017. São 45,26 km de ciclovias; 76,30 km de ciclofaixas; 55,32 km de ciclorrotas e 8,49 km de passeios compartilhados