Estudantes constroem minibarcos com materiais recicláveis

Separação de resíduos sólidos complementam conteúdo pedagógico na Semana do Meio Ambiente.

0
254
Fotos: Divulgação Secom/PMSJ

Garrafas, caixas de leite, palitos e elásticos. Com esses materiais reaproveitados, os estudantes do 5º ano do Centro Educacional Municipal (CEM) Governador Vilson Kleinübing, em São José, aprenderam a confeccionar minibarcos. Os ensinamentos fazem parte da aula prática, ministrada pelo professor Dr. André Colla, no Centro Municipal de Educação (CME) Ambiental Escola do Mar, em Serraria. Diariamente as duas escolas ambientais do Município recebem estudantes da rede municipal de ensino para atividades que objetivam a preservação do meio ambiente.

Ao longo da produção dos minibarcos, o professor explica sobre aquecimento global, efeito estufa e diferentes fontes de energia para a mobilidade da embarcação. A Metodologia Maker, o aprender fazendo, foi intensificada pelo professor depois de participar do curso oferecido pela Secretaria Municipal de Educação. “Nós aproveitamos esse momento de atenção dos estudantes para que eles se atentem para as questões ambientais e reflitam sobre o ciclo dos materiais, desde a origem, a transformação, a compra dos produtos até os impactos ambientais se não tiver a destinação adequada dos resíduos. Citamos, por exemplo, a poluição dos oceanos e as consequências para a fauna marítima, sempre relacionando com situações cotidianas”, explicou.

ENERGIA

O estudante Pedro Henrique dos Santos, de 11 anos, ficou encantando por produzir junto com a sua turma um minibarco movido a energia potencial elástica. “Eu achava que seria bem difícil fazer, mas vi que é possível com materiais recicláveis. Vou fazer em casa também”, comentou.

A professora-regente Danielle Regina Rosa de Souza e a auxiliar de ensino Jucélia Prudêncio, do 5º ano do CEM Vilson Kleinübing, relataram que os ensinamentos complementam o conteúdo que está sendo trabalhado em sala de aula. “Essa prática agrega à teoria. Semana passada abordamos sobre impactos do aquecimento global e do efeito estufa, camadas da atmosfera e hoje há um reforço desse conhecimento para conscientização ambiental”, citou Danielle.

Enquanto metade da turma participava da atividade prática; o outro grupo aprendia no auditório do CME Ambiental Escola do Mar, sobre separação dos resíduos sólidos. “Como essa turma era numerosa, optamos por dividi-la e depois do horário do lanche a turma que estava na prática segue para o auditório e vice-versa”, detalhou a supervisora escolar, Valdete Pereira.

RESÍDUOS

E quem disse que o horário do lanche não tem aprendizado? Entre uma mordida e outra no kiwi, a estudante Izadora Rocha Melo, de 10 anos, e seus amigos perceberam as características dos resíduos que produziram e separaram adequadamente. “Eu tinha dúvida se uma frutinha um pouco estragada poderia ir para a compostagem, mas o professor disse que sim. Meu ‘vôdrasto’ tem uma horta com alface, brócolis, couve, um monte de comida boa, ele já faz essa separação para adubo e agora eu também sei um pouco para ajudá-lo”, contou animada.

Semana de Conscientização do Meio Ambiente

A visita dos estudantes do CEM Vilson Kleinubing ao CME Ambiental Escola do Mar integra a Semana de Conscientização do Meio Ambiente, desenvolvida em São José de 1º a 7 de junho.

A programação também prevê doação de mudas e plantio de árvores nativas da Mata Atlântica pela equipe da Fundação Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, limpeza na praia, visita ao Jardim Botânico Municipal Max Hablitzel, ao Parque Ambiental dos Sabiás e às duas escolas ambientais.