Arquiteta Mariana Maisonnave confirma presença em duas mostras de decoração

A arquiteta, com escritório em Florianópolis, está nos últimos retoques do ambiente que assina a convite da Mostra Artefacto, que abre ao público no final de agosto.

0
86

Arquiteta que defende a leveza como um estado de presença a ser vivido na morada, e não apenas uma estética visual, assina ambientes para a Mostra Artefacto e CASACOR/ Santa Catarina neste segundo semestre.

Mariana Maisonnave se prepara para a temporada de mostras de decoração. A arquiteta, com escritório em Florianópolis, está nos últimos retoques do ambiente que assina a convite da Mostra Artefacto, que abre ao público no final de agosto.

Com o tema “Natureza Modernista”, a profissional aposta na leveza que tanto defende e projeta como modo de vida. Muito além de uma paleta clara, texturas que revestem móveis de bom design, tramam elementos que personalizam os espaços, a leveza é um estado a ser percebido e vivenciado.

“Meus projetos são contemporâneos, com uma linguagem leve e geralmente com tons claros. Gosto de criar ambientes que embora sejam leves, tenham praticidade no dia a dia da família e sejam aconchegantes. Não é um “minimalista” frio. Embora opte geralmente
por uma linguagem mais limpa, com menos informação. Acho importante que o lar seja lar, que traga acolhimento, com identidade pessoal. É algo que construímos junto com o cliente ”, reforça Mariana como identidade do seu traço.

Logo na sequência, na segunda quinzena de setembro, ela também carimba a sua terceira participação na CASACOR/ Santa Catarina, que ocorre na Escola Silveira de Souza, em Florianópolis. Embalada pela temática “Infinito Particular”, proposta para inspirar o elenco deste ano, a suavidade será mais uma vez almejada na atmosfera espacial.

“O meu Infinito Particular será desdobrado de diversas formas. Mas certamente a leveza que busco em meus projetos é a principal matriz que me move. Não de forma alienada ao contexto todo que nos envolve, porém como qualidade de sentir conforto, privacidade, pertencimento. A vida no dia a dia. Assim como a respiração, que abordei na última edição,
é um ato involuntário, a tomada de consciência do inspirar e expirar nos preserva, nos aterra no corpo, no presente e também evita ansiedade, um grande mal contemporâneo. Busco uma qualidade de estado, de estar”, explica.

O trabalho da profissional pode ser acompanhado no instagram do escritório @marianamaisonnave.arq

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome