Projeto “Conhecendo a África” é realizado em creche da Capital

Projeto “Conhecendo a África”, realizado em creche da Capital, trabalha o repertório cultural e o protagonismo negro com crianças da rede municipal de ensino

2
222

A garotada de 6 anos, do Núcleo de Educação Infantil Municipal Cristo Redentor, localizado na região Central de Florianópolis, está desvendando o continente Africano e aprendendo sobre as suas múltiplas culturas. O projeto “Conhecendo a África” tem como intuito ampliar o repertório cultural das crianças, valorizar o protagonismo negro, as relações étnico-raciais e discutir práticas antirracistas.

A iniciativa é coordenada pelo professor Jessiel Junglos, as auxiliares de sala Roza dos Santos e Maria de Fátima Borges, a professora auxiliar Gizelle de Matos e pela supervisora Lenina Martins.

Como primeira atividade, os educadores utilizaram diferentes mapas para mostrar aos pequenos a localização do Neim na cidade de Florianópolis, no estado de Santa Catarina, no Brasil e no mundo.

“Ao visualizarem a distância do nosso continente em relação à África, as crianças logo apontaram que era necessário um barco ou um avião para que pudéssemos chegar lá. Sendo assim, fizemos o nosso meio de transporte utilizando papelão e papietagem”, conta o professor Jessiel Junglos.

A bordo de um barquinho e com um mapa em mãos, os aventureiros iniciaram sua jornada rumo ao continente Africano.

Terra à vista!

O objetivo é conhecer em média 20 dos 54 países africanos. A cada semana a garotada visita uma região e aprende sobre suas características, músicas, brincadeiras, histórias, culinária e tradições.

“É muito importante que eles tenham contato com essas experiências para que a gente possa desconstruir estereótipos e preconceitos raciais e sociais”, relata a supervisora do Neim Cristo Redentor, Lenina Martins.

O educador, Jessiel Junglos, diz que o desenvolvimento do projeto está fluindo muito bem. “É fantástico ver o envolvimento da garotada no desenvolvimento das propostas, seja na disposição e interesse em conhecer diferentes músicas dos países visitados, ou em reconhecer e identificar os personagens negros que aparecem nas histórias que são contadas”.

Do roteiro, que foi criado em sala de atendimento, as crianças já visitaram o Quênia, Gana, Guiné, Senegal e Angola. E até o final do semestre, elas pretendem conhecer o Moçambique, África do Sul, Egito, Sudão, Madagascar, Togo, Marrocos, Zâmbia, Zimbábue, Namíbia, Uganda, Argélia, Tanzânia, e outros

2 comentários

Comments are closed.