São José mapeia casos de dengue no Município

De 136 casos confirmados, 130 são de moradores locais; seis casos importados

0
113

A Vigilância Epidemiológica do Município vem realizando o mapeamento regular dos focos e de infectados com a dengue, fechando o cerco ao mosquito Aedes Aegypti. Segundo o boletim epidemiológico realizado de 1º de janeiro a 22 de setembro, de 1.085 casos notificados, 905 foram descartados; 44 aguardam o resultado dos exames e 136 deram positivo.

Dos positivados, 130 ocorrências são de dentro do município e outros seis importados. O boletim detectou também os bairros com mais casos confirmados são Forquilhas 19, Fazenda Santo Antônio 17, Forquilhinha 15, Serraria 14 e Areias 11.

Sobre os focos, analisados no mesmo período, os bairros com maior concentração são: Serraria 274, Areias 269, em Forquilhas 249, Bairro Ipiranga 247, Forquilhinhas 246 e Barreiros 212.

Na última sexta-feira (23), os agentes de endemias da Diretoria de Vigilância Epidemiológica realizaram uma ação de bloqueio de transmissão da dengue no bairro Forquilhinha. A ação foi realizada devido ao caso confirmado de dengue autóctone (transmissão dentro do município), ainda este mês. O bloqueio se trata da aplicação de inseticida em até 14 dias do início dos sintomas (quando há casos confirmados neste prazo). O produto, fornecido pelo Estado, é colocado em até 50 metros da residência da pessoa com a doença.

BALANÇO

Entre os meses de julho a setembro, o boletim epidemiológico identificou que os bairros com maior número de focos são: Serraria 36, Forquilhas 26, Roçado 22, Forquilhas 21 e Areias 18. O aumento de focos pode ser explicado por acontecerem predominantemente em áreas residenciais, pois o vetor tem hábitos domiciliares.

A partir do mês de agosto as armadilhas contra o mosquito foram reativadas nestas áreas, o que também explica a maior concentração. As armadilhas são pneus instalados em locais escuros, com água. As equipes evitam colocar em locais onde possam concorrer com outros recipientes com água. Será considerado foco positivo para a dengue, quando houver a presença de larva do Aedes Aegypti nessa armadilha.

PREVENÇÃO

A Vigilância Epidemiológica realiza o Levantamento de Índice Rápido (Lira), uma ação que acontece nos meses de novembro e março (início e fim do verão, para detectar os bairros com mais presença do mosquito). “Estamos intensificando os trabalhos educativos na rede municipal de ensino e também capacitando os profissionais de saúde da rede para identificar e orientar a população, além de construirmos de forma intersetorial o Plano de Contingência, que trabalha de forma intensa sobre as formas de prevenção”, declara a diretora da Vigilância Epidemiológica Municipal, Katheri Zamprogna.