Câmara da Capital faz entrega da Medalha Manezinho da Ilha Aldírio Simões

A Câmara Municipal homenageou 25 personalidades da Capital, com a entrega da Medalha Manezinho da Ilha Aldírio Simões

1
94

Em grande expediente realizado nesta quarta-feira (23), a Câmara Municipal homenageou 25 personalidades da Capital, com a entrega da Medalha Manezinho da Ilha Aldírio Simões.

A medalha tem a finalidade de homenagear cidadãos nascidos ou criados no município de Florianópolis e também homenagear o cronista da alma da ilha, do carnaval, da terra, do mar, dos valores típicos da nossa gente, Aldírio Simões. Com a sua paixão pela ilha, nasceu um novo olhar de respeito e reverência ao manezinho, que ele soube como ninguém, colocar no seu devido lugar e dando real dimensão à dignidade. Mesmo passados 18 anos de sua partida, Florianópolis não o esquece.

“Eu sempre falo que essa honraria é a mais significativa da Câmara Municipal, é aquela que mais se aproxima da nossa gente da realidade do nosso dia a dia. Para nós vereadores, aprovar nomes de pessoas que realmente fizeram história foi uma grande honra. Quero agradecer a todos os homenageados por permitir a cada um dos vereadores a indicarem o seu nome para fazer essa justa homenagem. É a homenagem que mais mexe com nosso coração e nossas emoções, pois ser manezinho, é um orgulho para todos nós!”, afirmou o presidente da Câmara, vereador Roberto Katumi Oda (PSD).

Manezinho raiz do Sul da Ilha, grande personagem na comunidade, o homenageado Osmar João da Cunha representa o reconhecimento a todos aqueles que vivem pelo seu bairro e para a sua vida em comunidade. “Receber essa medalha é uma honra e um privilégio, a algum tempo atrás, ser chamado de manezinho era um termo pejorativo, mas hoje é um reconhecimento da Câmara, para quem fez algo pela cidade”, afirmou emocionado.

Representando os parlamentares, o vereador Adrianinho Flor (Republicanos) destacou o legado inegável e a importante produção literária e que permanecerá viva na história cultural do povo florianopolitano. “Em nome dos meus pares sinto-me lisonjeado, pois todos temos a alma Mané. É ser o que se é … com seu potencial de genialidade, inteligência e humildade. Coisas que se perderam em muitas capitais do Brasil a fora. Ser mané são tantos adjetivos e singularidades, e somos felizes por saber que nascemos e vivemos no lugar que defende e vive nossas raízes, enfatizou.

Fazendo o uso da tribuna, o homenageado Rodrigo Stüpp destacou a força do sotaque e o sentimento de orgulho em fazer parte da história da cidade. “Ser manezinho é motivo de orgulho para todos nós: homens e mulheres. Tudo isso é ser manezinho, a gente tem sim a força do sotaque, mas falar e ser voz, e ainda propagar o orgulho que temos da nossa história. Pra mim foi o dia mais feliz da minha existência”, finalizou.

HOMENAGEADOS:

Rodrigo Stüpp

Pauline Kisner

Carlos Magnos De Jesus

Coronel Marcelo Pontes

Lourival Manoel Teixeira

Bruno Rolf Stigger

Paulo Roberto Cunha

Fábio Machado

Adelcio Vital Pinheiro

Osmar João Da Cunha

Adilson Adir Gentil

Marcelo Jacques

Natália Pereira

Cacau Menezes

Ronaldo Koerich

Douglas Márcio

Metuselã Fernandes Do Nascimento

Mauro Vieira

Nilta Maria Anjos Santos

Sérgio Pedreira

Frank Luiz Maia Bretas (In Memoriam)

Leandro Pereira

Izaías Carvalho

Nivaldo Rodolfo Cunha

Sandro Adriano Da Costa

1 comentário

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome