CASAN estuda alternativas para disposição do efluente tratado do sistema de esgoto da Lagoa da Conceição

Os trabalhos foram apresentados em reunião aberta ao público na noite desta quarta-feira, dia 23.

0
59

A CASAN desenvolveu um conjunto de estudos sobre alternativas para retorno do efluente tratado do Sistema de Esgotamento Sanitário da Lagoa da Conceição à natureza. Os trabalhos foram apresentados em reunião aberta ao público na noite desta quarta-feira, dia 23.

As avaliações foram baseadas em práticas internacionais, resultando em mais uma melhoria para o Sistema de Esgotamento Sanitário que atualmente atende mais de 10 mil moradores da Lagoa da Conceição. As ações integram o Plano de Recuperação Ambiental para a região.

Entre os avanços já implementados está a adaptação da ETE Lagoa da Conceição para o processo terciário, que observa padrões elevados de qualidade do efluente. Considerado um dos mais completos no campo do saneamento, o método terciário é indicado, por exemplo, para o reúso em fins não potáveis.

A Companhia também finalizou o Muro Verde de contenção do talude da Lagoa de Evapoinfiltração, que recebe o efluente tratado do Sistema de Esgoto, garantindo a segurança da população e das águas da Lagoa da Conceição.

Ciclos de operação e descanso

As avaliações de alternativas para a nova disposição do efluente tratado foram feitas prevendo as áreas mais adequadas diante das restrições do local, como o Parque de Dunas, as características físicas do solo, topografia, proximidade do lençol freático, uso e ocupação da região.

Foi avaliada também a tecnologia a ser usada e qual a necessidade de área para obtenção dos melhores resultados de infiltração. O estudo levou em conta processos de aplicação do efluente tratado no solo arenoso da região como wetland construído, curso d´água e infiltração. Foram também avaliados cenários considerando a disposição combinada entre esses processos e a Lagoa de Evapoinfiltração.

O estudo indica como alternativa mais indicada a aplicação do efluente em um campo de aspersão, em associação com a nova estrutura da Lagoa de Evapoinfiltração. Essa combinação permite a aplicação do efluente em ciclos, garantindo melhores condições de infiltração e desativando o bombeamento emergencial hoje existente.

A solução é capaz de atender a atual capacidade da Estação de Tratamento, e será potencializado pela melhoria na qualidade do efluente, já implementada com a depuração em processo terciário.

Os estudos foram desenvolvidos no âmbito da Divisão de Políticas Operacionais de Esgoto, ligada à Gerência de Políticas Operacionais da Diretoria de Operação e Expansão da CASAN, com apoio da Gerência de Meio Ambiente e Recursos Hídricos e do setor de Operação e Manutenção de Esgoto da Superintendência Metropolitana na grande Florianópolis. Participaram profissionais das áreas de engenharia sanitária, engenharia química, engenharia civil e geologia.

“A participação do público na reunião foi muito boa e agora será possível avançar em mais esta ação fundamental para a conservação do ambiente e para o funcionamento do sistema de esgoto da lagoa da Conceição”, avalia a gerente de Meio Ambiente e Recursos Hísdricos da CASAN, Andreia Senna.

 

Deixe uma resposta

Faça um comentário:
Digite o seu nome