Temporada começa aquecida para bares e restaurantes de SC

Escassez de mão de obra é uma das maiores dificuldades do setor

0
12

A expectativa positiva do setor de bares e restaurantes para o início da temporada de verão em Santa Catarina se confirmou. O aquecimento da economia trouxe ânimo ao mercado gastronômico, que vinha sofrendo com os altos e baixos das questões tributárias à crises geradas pela pandemia. A percepção é fruto de pesquisa realizada pela Abrasel SC, junto a empreendedores do setor catarinense, a maioria do litoral, encerrada na última sexta-feira (13).

De acordo com os entrevistados, em relação ao mesmo período da temporada passada – entre o fim de novembro e o pós-Réveillon – o movimento teve um aumento de 15% ou mais para 57% dos estabelecimentos. O resultado reflete um otimismo do setor, já que 64% dos empresários esperam que até o fim do Carnaval os números devam melhorar ainda mais.

No entanto, embora o cenário seja positivo, a dificuldade de contratação de colaboradores capacitados é uma realidade que assombra os empresários. Segundo o levantamento, 80% dos entrevistados apontaram o problema. “Encontrar mão de obra qualificada se tornou um grande desafio. Por isso, estamos investindo cada vez mais em capacitação para parte da cadeia produtiva gastronomica de Santa Catarina”, explica Juliana Mota, presidente da entidade no estado. A Abrasel SC desenvolve, por exemplo, o programa de mentoria Acelera SC, direcionado aos empresários e seus colaboradores.

Outros ponto apontado pelos respondentes e que impacta negativamente no setor foi a falta de infraestrutura (principalmente no que se refere à mobilidade e ao saneamento), e o aumento dos valores dos insumos (detectado por 45% dos consultados). Conforme dados da Abrasel Nacional, no acumulado do ano, a inflação no setor (7,47%) fechou abaixo do índice de aumento dos alimentos e bebidas (11,64%), puxado pelo aumento de 13,23% nos preços dos produtos vendidos nos supermercados e mercearias. Isso tornou a alimentação dentro de casa mais cara que o consumo na rua.

“Apesar de termos registrado a volta do movimento, o setor ainda está represando parte dos aumentos dos insumos”, comenta Paulo Solmuccipresidente da entidade em nível nacional. “Estamos confiantes de que esta temporáda será boa, se depender da procura dos estrangeiros e mesmo de turistas vindo de outras regiões do país. A vontade em reviver um verão pleno está dando fôlego e esperança para nossa gastronomia”, finaliza a presidente.