Hoje é segunda-feira, 15 de julho de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
spot_img

Doença tem várias causas e pode exigir até cirurgia.

Segundo a coordenadora e professora do Curso de Fisioterapia da Wyden, Alice Bella Lisbôa, ambas as doenças ocorrem por movimentação articular de forma inadequada e repetitiva. “A LER pode ocorrer tanto na atividade de trabalho, domiciliar quanto em atividades de lazer e recreação. Já a DORT, está relacionada exclusivamente à atividade
de trabalho e normalmente acomete pessoas em atividades que realizam o mesmo movimento por período prolongado”.

O diagnóstico das doenças é feito por meio de um exame clínico, no qual são avaliados os principais sintomas. Professor do IDOMED, o ortopedista Eduardo Duarte Pinto Godoy alerta que os sintomas são variados, mas entre os mais comuns estão: formigamento, fraqueza, limitação de movimento e dor. “A localização e intensidade variam de acordo com a atividade realizada pelo paciente, sendo os membros superiores os mais afetados”, diz.

A maior parte dos casos pode ser resolvida com tratamentos, sem a necessidade de cirurgias, com uso de analgésicos e anti-inflamatórios, fisioterapia e mudanças relacionadas à ergonomia. Apenas nos casos nos quais estes tipos de tratamentos não surtem efeito, a cirurgia pode ser a solução. O médico listou mudanças de hábitos que podem prevenir a
LER e melhorar a qualidade de vida:

– Prestar atenção à postura ao realizar qualquer atividade.

– Alongar o corpo, incluindo os membros superiores por completo.

– Dar pausas para caminhar e movimentar o corpo.

“As pausas regulares são importantes. Por exemplo: em uma hora de trabalho com digitação, fazer 10 minutos de pausa

– Pratique exercícios laborais frequentes para compensar o esforço dos membros estressados

– Evite o excesso de carga horária.

“O corpo não foi feito para fazer o mesmo movimento sem fim, respeite isso”.

spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa