Hoje é domingo, 21 de julho de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
spot_img

O cardiologista da UGF Cárdio no Hospital Unimed, Dr. José Kostetzer Junior, explica que o coração dos apaixonados passa por mudanças físicas

Uma alegria inesperada, aquele sorriso aberto no rosto, borboletas no estômago e até a sensação de que o coração vai sair pela boca ao encontrar por acaso a pessoa amada. Quem nunca experimentou este estado característico da paixão?

Essas são alguns dos sintomas despertados não pela flecha do cupido, mas pela liberação, no corpo, de substâncias químicas como a dopamina, a oxitocina e a serotonina, que podem afetar o funcionamento do coração e provocar sentimentos de felicidade, euforia e uma ligação emocional especial com a pessoa desejada.

O cardiologista da UGF Cárdio no Hospital Unimed, Dr. José Kostetzer Junior, explica que o coração dos apaixonados passa por mudanças físicas. A começar pelos batimentos, mais rápidos do que o normal, o que muitas pessoas conhecem por “borboletas no estômago”. “Isso ocorre porque nosso corpo libera substâncias que deixam nosso coração acelerado, como adrenalina e noradrenalina”, afirma o médico.

Até o rosto que enrubesce de repente ao avistar a pessoa amada tem explicação científica: o aumento da produção de óxido nítrico, que provoca a dilatação dos vasos sanguíneos, nos fazendo sentir calor e ficar com o rosto corado.

Alguns apaixonados podem sentir o coração pulsando mais forte: são as palpitações. Elas podem ocorrer porque o órgão está trabalhando de forma mais intensa ou porque estamos mais sensíveis aos batimentos cardíacos.

E quanto a você, quais dos sinais acima você sente quando está apaixonado?

spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa