Hoje é sábado, 13 de julho de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
spot_img
InícioGERALAções contra o fumo ajudam a reduzir o número de fumantes e...

Ações contra o fumo ajudam a reduzir o número de fumantes e têm um impacto na saúde pública

Ao longo dos últimos 21 anos, graças a uma série de ações adotadas por instituições e profissionais da área da saúde, o número de fumantes teve uma queda significativa de 46%

Ao longo dos últimos 21 anos, graças a uma série de ações adotadas por instituições e profissionais da área da saúde, o número de fumantes teve uma queda significativa de 46%. Esses dados foram divulgados pelo Núcleo de Estudos e Tratamento do Tabagismo (NET-Tab), que reúne estudantes, pesquisadores e profissionais do Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC) e da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Para marcar a data, a equipe do NET-Tab programou ações de conscientização e uma roda de conversa aberta à comunidade no auditório do hospital, com o tema “As diversas formas do uso do tabaco”, com o objetivo de alertar funcionários, pacientes e acompanhantes sobre os riscos do tabagismo, suas consequências e os caminhos para a cessação do hábito. Alunos e professores estarão presentes na entrada do hospital, na área dos ambulatórios, para promover a campanha e esclarecer dúvidas.
“Apesar dessa redução, é importante ressaltar que o número de tabagistas ainda é expressivo e continua exercendo pressão sobre o sistema de saúde devido às doenças associadas ao tabagismo. Além disso, o mercado tem respondido a essa diminuição oferecendo alternativas, principalmente para atrair os jovens, como é o caso dos cigarros eletrônicos”, explicou a pneumologista e professora Leila Stedile, coordenadora do NET-Tab.
Ela afirma que os cigarros eletrônicos, embora sejam ilegais no Brasil, têm atraído pessoas desavisadas, especialmente os jovens, devido à sua aparência moderna, sabor atrativo e ausência de cheiro desagradável. No entanto, esses produtos se tornaram uma nova e perigosa moda do momento. Os cigarros eletrônicos são dispositivos que liberam aerossóis contendo nicotina e outras substâncias.
“Contrariamente ao que muitas pessoas imaginam, esses produtos não trazem nenhuma vantagem em relação aos cigarros convencionais. Eles contêm nicotina em forma de sal (ácido benzóico associado à nicotina), o que induz à dependência química de forma mais rápida. Isso aumenta a chance de o usuário desenvolver problemas de saúde, como trombose, AVC, hipertensão, infarto do miocárdio, entre outros. Além disso, os vapes contêm mais de 2000 substâncias químicas, incluindo agentes cancerígenos comprovados”, acrescentou a coordenadora, em material sobre o tema.
Campanha foca no plantio de tabaco
A campanha deste ano, tem como foco, além dos malefícios à saúde e das alternativas ao cigarro convencional, o impacto negativo do plantio de tabaco em vez do plantio de alimentos. A produção de tabaco tem consequências significativas na segurança alimentar e no meio ambiente.
O cultivo de tabaco requer extensas áreas de terra que poderiam ser utilizadas para o plantio de alimentos nutritivos. Essa prática contribui para a escassez de terras agrícolas disponíveis e reduz a oferta de alimentos básicos para a população, o que pode levar à insegurança alimentar, especialmente em regiões onde o cultivo de tabaco é predominante.
Além disso, a produção de tabaco envolve o uso intensivo de agrotóxicos e fertilizantes químicos, que podem contaminar o solo, a água e prejudicar a biodiversidade local. Esses produtos químicos têm impactos negativos na saúde humana e no meio ambiente, contribuindo para a poluição do solo e da água, além de representar riscos para os agricultores e trabalhadores envolvidos na produção.
“Diante dessas questões, é fundamental promover uma conscientização mais ampla e incentivar a diversificação agrícola, para que os agricultores possam encontrar alternativas sustentáveis ao cultivo do tabaco. Investir em agricultura de alimentos nutritivos e sustentáveis pode não apenas melhorar a segurança alimentar, mas também preservar o meio ambiente e promover a saúde das comunidades locais”, ressalta o material de campanha do NET-Tab.
O NET-Tab é um projeto de extensão que existe desde 2014 e atua na capacitação de alunos do curso de Medicina da UFSC nas questões relacionadas ao combate do tabagismo. Além das campanhas, o núcleo realiza ações junto a pacientes, visitantes e funcionários para esclarecer sobre os malefícios do cigarro, promove testes para medir o grau de dependência, reúne estudos sobre o tabagismo e suas consequências, e incentiva os ex-fumantes a continuarem em busca de mais saúde e qualidade de vida. O trabalho desempenhado pelo NET-Tab é essencial para combater o tabagismo e promover uma sociedade livre do fumo.
Veja o vídeo da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia para a campanha do dia 31: https://youtu.be/whwoju1Ibzo
spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa