Hoje é segunda-feira, 20 de maio de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
spot_img
spot_img
InícioGERALCeramista Catarinense estreia exposição em São José

Ceramista Catarinense estreia exposição em São José

Exposição acontece na Casa da Cultura, no Centro Histórico

A estreia da exposição “Cicatrizes – Pequenas Colunas de Mulheres Que Não Mais Se Permitem a Ferida”, será nesta sexta-feira (19), a partir das 19h na Casa da Cultura Municipal Nésia Melo da Silveira, no Centro Histórico. O projeto cultural, que tem entrada gratuita, é realizado com recursos do Governo do Estado de Santa Catarina, pela Fundação Catarinense de Cultura (FCC), por meio do Prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura – Edição 2023.

Depois de passar por Joinville e emocionar os visitantes, a ceramista catarinense Diomedes Niebuhr estreia sua exposição em São José. Diomedes utiliza como temática as cicatrizes presentes em todas as mulheres, intercaladas por textos poéticos que trazem reflexões a partir dessas marcas internas e externas, como forma de não repeti-las, fazendo deste projeto algo que transcende a arte.

O local escolhido pela produção da segunda apresentação da exposição em Santa Catarina, vem de encontro com o projeto, já que Nésia, que dá nome a Casa da Cultura, foi a primeira ceramista registrada no Estado de Santa Catarina e uma guerreira incansável na luta pela cultura de São José. Falecida em 23 de julho de 1994, Dona Nésia trabalhou 48 anos na fabricação de peças de olaria e foi a introdutora do boi-de-mamão, pau de fita, orquestra de sapos e presépios de natal em argila na região.

A 9ª exposição da ceramista é composta por 10 esculturas que apresentam, tanto por meio delas quanto de poemas escritos a partir delas, reflexões sobre as diferentes cicatrizes que permeiam a trajetória feminina. O público poderá fazer uma imersão nas obras expostas, com elementos táteis para a personificação de suas próprias dores, além de papéis que, escritos pelos mesmos e deixados numa urna chamada de “Caixa das Cicatrizes”, passando a fazer parte de todo o contexto expográfico para a produção de uma nova obra a ser feita, in loco, pela artista, no último dia em que ficará em cartaz, a artista irá queimar os escritos e com suas cinzas, misturada à argila, surgirá uma nova escultura.

Um projeto múltiplo, que não surge apenas na arte pela arte, pensado exatamente para transformar o olhar que, naturalizado pelo cotidiano, deixa passar sensações e percepções que a contemporaneidade tem apagado, tem tornado invisível. Com esculturas produzidas por uma artista septuagenária, que começou sua carreira, como aluna de cerâmica, após os 65 anos, um diferencial perante a sociedade atual onde à terceira idade são relegadas a casas de repouso, lares, comiseração e jogos de bingo.

Ativa, Diomedes Niebuhr encontrou no conceito do “feminino” artifícios e inspirações para criar seu universo de argila, e encontrou nas diversas cicatrizes femininas a temática que, segundo ela, “promoverá uma pausa na correria para a observação daqueles cortes simbólicos perante recortes tão grandes feitos nas mulheres em toda a sua trajetória histórica”.

A exposição em São José, encerra dia 20 de maio, segunda-feira, com performance da ceramista.

DIOMEDES NIEBUHR

Nasceu em Ascurra, Santa Catarina, no ano de 1948. Reside em Joinville desde 1961, e de 2016 até o momento presente vem estudando, continuamente, desenho, anatomia, história da Arte e cerâmica na Casa da Cultura Fausto Rocha Júnior, em Joinville, Santa Catarina. Num constante processo de pesquisa tanto acadêmica quanto empírica, mantém em movimento seu olhar atento e sensível a calibrar mãos e dedos que esculpiram essas mulheres expostas. Produzindo dezenas de mulheres de terra, como Deus produziu do barro o primeiro homem, Diomedes Niebuhr carrega suas esculturas de cicatrizes e cortes, não apenas para espetacular a dor, mas para consagrar as marcas da trajetória de cada mulher. Tornou-se ceramista desde o momento que inicia os estudos da Escola da Artes Fritz Alt em Joinville, em 2016, pois dedicou décadas de sua vida à educação porém hoje é totalmente dedicada às artes.

Para mais informações sobre oficinas, ensaios e exposições na Casa da Cultura, entre em contato: (48) 3381-0048 ou sec.culturaeturismo@pmsj.sc.gov.br

Instagram: https://instagram.com/smctsj

Fanpage: https://facebook.com/culturaeturismosj

spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa