Hoje é sábado, 13 de julho de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
spot_img
InícioColuna da AMPEColuna da AMPE edição de 31 de maio de 2023

Coluna da AMPE edição de 31 de maio de 2023

Veja abaixo os principais assuntos da Coluna da Ampe, publicada quinzenalmente numa parceria da Ampe da Região Metropolitana de Florianópolis, com o jornal Informe Negócios

Ampe Metropolitana participa de reuniões de fórum nacional sobre pequenos negócios

A Ampe Metropolitana participou de uma série de reuniões do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, coordenado pela Secretaria de Micro e Pequenas Empresas e Empreendedorismo do Ministério da Indústria, Comércio e Serviços. Os encontros on-line aconteceram entre os dias 23 e 25 de maio de 2023.

O Fórum é um espaço de diálogo entre o governo federal e as entidades representativas das micro e pequenas empresas, que visa propor políticas públicas para o desenvolvimento do setor. Os comitês temáticos tratam de assuntos como racionalização legal e burocrática, acesso a mercados, tecnologia e inovação, investimentos, financiamento e crédito, formação e capacitação empreendedora, MEI e política nacional de apoio e desenvolvimento das MPEs. Painéis também abordam questões como mulheres empreendedoras, crédito para as MPEs, tecnologia e exportação.

Segundo o vice-presidente da Ampe, Piter Santana, que  participou das reuniões do Fórum, essa é uma oportunidade de contribuir para o fortalecimento dos pequenos negócios, responsáveis por gerar emprego e renda para milhões de brasileiros. “Precisamos de políticas públicas que favoreçam o nosso crescimento e competitividade. O Fórum é um espaço importante para apresentarmos as demandas do setor e buscarmos soluções conjuntas com o governo”, afirmou. Mais informações em mdic.gov.br.

Caixa reduz juros para 2,1 milhões de MPEs

A Caixa Econômica Federal deve reduzir juros para cerca de 2,1 milhões de pequenos negócios, em consequência de um acordo firmado com a Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil. Os juros poderão cair até 33% em algumas linhas de crédito. Empresas associadas ao convênio poderão contratar linhas de capital de giro com taxas a partir de 1,21% ao mês. A compra de máquinas e equipamentos terá taxas a partir de 1,34% ao mês e o GiroCaixa Fampe, a partir de 1,87% ao mês. Sem destinação específica e sem garantia, o empréstimo é destinado a microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte.

Empréstimo via BNDES ficou maiscil

As microempresas e empresas de pequeno porte, assim como o MEI, contam desde abril com uma nova linha  no BNDES, que disponibilizou R$ 1,75 bilhão em garantias para a contratação de empréstimos por meio do Programa Emergencial de Acesso ao Crédito (Peac), aquele assegurado pelo Fundo Garantidor para Investimentos (FGI).  O benefício é que a taxa de juros é de livre negociação entre as partes, mas a média tende a ficar perto de 1,75% ao mês pelas regras do programa. Para conseguir o empréstimo o empresário deve ir ao banco que tem conta corrente, pois o BNDES  não empresta  diretamente. Mais informações, bndes.gov.br ou procure o Ampe.

Ampe marca presença no Congresso Latino-Americano de Micro, Pequenas e Médias Empresas

Representada por seu vice-presidente, Piter Santana, a Ampe Metropolitana participou do 7º Congresso Latino-Americano de Micros, Pequenas e Médias Empresas (Mipymes), no prédio do Banco Central do Paraguai, em Assunção, entre os dias 18 e 19 de maio.

O evento apresentou atividades como feiras, networking, rodada de negócios e debates importantes para o setor que mais gera empregos não apenas no Brasil. “Conhecemos a realidade de países como Argentina, Bolívia, Colômbia, Equador, Panamá, Peru e Uruguai, além de ações dos diversos governos. Também conhecemos associações de outros países para buscar suas experiências e soluções para problemas que temos em comum”, destacou Piter Santana.

ARTIGO

A mulher empresária da micro e pequena empresa

Priscila Santana

Fundadora da Ps. Negócios e Compliance e Coordenadora do Núcleo de Mulheres Empreendedoras da Ampe Metropolitana

O mês de maio costuma ser marcado por muitas lembranças para as mulheres. Apesar do seu dia ser comemorado internacionalmente em março, maio tem um zelo cultural por tradicionalmente ser o mês das noivas e também ter o dia das mães. Aproveito a pauta para fazer uma provocação e convidar você a refletir sobre o papel da mulher na micro e pequena  empresa.

Segundo uma pesquisa realizada em 2021 pelo SEBRAE e também a Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), 87% das mulheres empreendedoras continuam atuando sozinhas em seus negócios, mesmo o mercado atingindo o número de 10,3 milhões de negócios formais geridos por donas de seus próprios negócios. Quando possuem empregados, as mulheres continuam com menos empregados que os homens (negócios menores).

O que será que falta para que essas mulheres confiem seus processos e suas empresas a profissionais que tendem a alavancar seu crescimento?

Estudo revelou que o preconceito, machismo, jornada dupla/tripla e falta de respeito estão presentes no dia a dia das brasileiras no mercado de trabalho.

Ambientes de trabalho desiguais e a crise econômica enfrentada no país fizeram com que as mulheres no Brasil empreendessem mais que os homens durante a pandemia. E isso não foi só no Brasil, é um reflexo global.

Analisando os dados, nota-se que o que as tornou empresárias foi a necessidade de sobrevivência das famílias. Elas transformaram ações que já realizam no seu dia a dia em negócio. Destaco as três primeiras atividades citadas: cabeleireiros e tratamento de beleza, comércio de vestuário e serviço de catering, bufê e serviços de comida preparada.

Contudo, o fato de se manterem como negócios menores, vai de encontro a outras pesquisas que apontam que 70% dos negócios fecham nos dois primeiros anos, isso porque a falta de conhecimento administrativo e organização financeira é uma realidade, não dando a oportunidade dessas mulheres crescerem.

Além das dificuldades elencadas, as mulheres também encontram pedras pelo caminho da ascensão dentro do mundo empresarial. Por mais que 70% dos líderes de negócios concordem que a diversidade de gênero melhora a performance da organização, o número de mulheres em cargos altos dentro de empresas cresceu apenas 5% nos últimos quatro anos.

Pensando nisso, a Ampe Metropolitana, que tem como pilares a capacitação, o relacionamento, a representatividade e os benefícios, reativou no mês de maio o Núcleo de Mulheres Empreendedoras, com o objetivo de fortalecer o empreendedorismo feminino das Micro e Pequenas Empresas da região.

CURTAS

– O Núcleo de Mulheres Empreendedoras da Ampe realizou a 1° Rodada de Negócios, dia 25, com trocas de experiências e networking, além do lançamento do curso Mulheres Empreendedoras, com a metodologia  da Junior Achievement e parceria Ps. Negócios. O evento teve o patrocino da Valorizar Seguros e reuniu mais de 20 mulheres.

– A Ampe participou do evento Portas Abertas III, encerrando a Semana do MEI, promovido pela Prefeitura de Florianópolis, no dia 27, na Casa do Empreendedor.

– O próximo Circuito Ampe acontece dia 5, na sede da Ampe, em Florianópolis, às 16h. O tema é o sistema de notas fiscais do governo federal. A atividade já foi realizada com sucesso no Sul da Ilha e no Continente, nos dias 14 e 30, respectivamente. Houve ainda atendimentos aos empreendedores e visitas às empresas da região.

– Dica de capacitação: o RH Summit, evento on-line e gratuito, acontece de 13 a 15 de junho. Informe-se em rhsummit.com.

spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa