Hoje é quinta-feira, 30 de maio de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
spot_img
spot_img
InícioGERALEm nova votação, professores e professoras da UFSC aprovam greve a partir...

Em nova votação, professores e professoras da UFSC aprovam greve a partir de 7 de maio

A votação eletrônica foi realizada online entre as 16h de terça-feira, dia 30, e as 16h desta sexta, dia 3. No total, 1.250 pessoas votaram, sendo 637 a favor da paralisação, 596 contra e 17 em branco

Professores e professoras da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), filiados à Apufsc-Sindical, decidiram pela adesão à greve a partir de 7 de maio. A votação eletrônica foi realizada online entre as 16h de terça-feira, dia 30, e as 16h desta sexta, dia 3. No total, 1.250 pessoas votaram, sendo 637 a favor da paralisação, 596 contra e 17 em branco.

A pergunta apresentada na cédula, aprovada na Assembleia Geral Extraordinária (AGE) realizada na manhã de 30 de abril, era: “Você é favorável à adesão dos professores e professoras da UFSC à greve nacional docente a partir do dia 7 de maio de 2024?”.

Com a decisão, seguindo o que está previsto na Lei de Greve, a Diretoria da Apufsc tem 72 horas para enviar ofício à Reitoria da universidade comunicando a data de início da paralisação. As ações de mobilização serão anunciadas em breve no site da Apufsc.

Segunda votação em um mês
Esta é a segunda vez que o assunto é discutido em menos de um mês na UFSC. Em votação realizada entre os dias 3 e 6 de abril, 1.118 pessoas votaram, sendo 582 (52%) contra a paralisação, 512 (45,8%) a favor e 24 em branco.

A greve voltou à pauta depois que um requerimento foi apresentado à Diretoria do sindicato, assinado por 5% das pessoas filiadas, como prevê o estatuto. Assim, nova AGE específica para tratar sobre a greve foi convocada para o dia 30 de abril, dando início à nova votação. Professores e professoras se mostraram frustrados com as últimas reuniões das mesas de negociação. Apesar de melhorar a proposta de reajuste salarial para 2025, que passou de 4,5% para 9%, o Ministério da Gestão manteve o reajuste zero em 2024.

Em todo o país, até esta sexta-feira, 40 entidades que representam docentes das universidades federais aprovaram greve. Outras 13 rejeitaram. Destas, oito agendaram novas assembleias gerais após a última rodada da mesa de negociação.

Posicionamento da Diretoria
“Primeiramente, a Diretoria da Apufsc registra a grande participação da categoria docente nesta votação. No total, quase 45% dos filiados e filiadas votaram, o que demonstra o engajamento com um tema tão importante. Em segundo lugar, é preciso afirmar que a Diretoria da Apufsc respeita e é porta-voz dos professores e professoras da UFSC, que decidiram, com uma pequena margem de diferença, iniciar greve a partir do dia 7 de maio. Esta greve tem como reivindicação principal o reajuste salarial em 2024 e melhorias na carreira docente, mas não se restringe a isso. Nossa categoria luta, também, pela recomposição do orçamento das universidades, que prestam um serviço fundamental para toda a sociedade. Acima de tudo, nossa batalha é em defesa da educação pública, gratuita e de qualidade, por isso a necessidade de valorização dos professores e professoras, que diariamente se dedicam à pesquisa, ensino e extensão, e não raras vezes tiram recursos do próprio bolso para que estudantes tenham as melhores condições de ensino. Convocamos toda a comunidade a se unir a nós nesta luta, que é de interesse de todas e todos. E estamos confiantes de que o governo atenderá aos anseios da nossa e de outras categorias que, em greve, reivindicam melhores condições de trabalho na educação.”

spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa