Hoje é quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
spot_img
InícioColuna do EditorIdoso morre esperando socorro do SAMU; entrevista exclusiva com deputado Júlio Garcia...

Idoso morre esperando socorro do SAMU; entrevista exclusiva com deputado Júlio Garcia e outras notas

Veja sobre a polêmica em torno da falta de ambulâncias do Samu na Capital; a recomposição do FPM das prefeituras e a entrevista exclusiva com o deputado estadual Júlio Garcia, que esteve recentemente em São José em um evento político e falou um pouco sobre o apoio à reeleição do prefeito Orvino; relação do governo Jorginho com a Alesc e outros assuntos.

Publicidadespot_img

Idoso morre esperando socorro do SAMU

A morte por infarto de um homem de 60 anos, nesta segunda-feira (4), no centro de Florianópolis, que esperou por cerca de uma hora até a chegada de uma ambulância do SAMU, chamou a atenção para a falta de ambulâncias de socorro na Capital Catarinense.

Não se pode dizer que o senhor morreu porque a ambulância atrasou. Mortes por infarto podem ser instantâneas, mas o fato é que a Capital carece de ambulâncias do Samu. Há apenas uma. E, esse não é um problema de hoje. Se arrasta há anos. Mas, está passada da hora de ser resolvido.

Falta de ambulâncias

Diante do ocorrido, a Prefeitura de Florianópolis divulgou uma nota esclarecendo que “a aquisição de ambulâncias é obrigação do Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde. A distribuição das ambulâncias para os municípios é coordenada por meio do Governo do Estado”.

A nota da prefeitura segue ainda afirmando que “ao todo, o Governo de Santa Catarina já realizou mais de 50 solicitações para a reposição de ambulâncias em seu território. As demandas aguardam atendimento do âmbito federal em toda Santa Catarina, incluindo Florianópolis.  Devido ao impacto direto no funcionamento adequado dos serviços de emergência e a falta de transparência do âmbito federal, município e estado estão se articulando para a aquisição própria de novas ambulâncias”, finaliza a nota da prefeitura.

Falta de ambulâncias (II)

Pelo porte de Florianópolis, haveria a necessidade de uma cobertura de quatro ambulâncias do SAMU. De acordo com o Ministério da Saúde, há previsão de aquisição de mais veículos para entrega prevista em 2024. De acordo com o Ministério, o protocolo de renovação dos veículos é a cada quatro anos e a última renovação aconteceu em 2018, portanto, a próxima ocorrerá no ano que vem. O Ministério também informou que envia mensalmente aos municípios e Estados valores para manutenção dos veículos e das equipes. Em nota, o ministério também informou que também cabe ao município essa participação na manutenção dos veículos.

COLUNA DO WHATSAPP – Quem quiser receber esse conteúdo no whatsapp, é só clicar e ingressar no grupo: https://chat.whatsapp.com/H2w34yUIK4F7SVYj69cyZ9

Apresentação de projeto

O projeto da avenida Beira-Mar de Barreiros, que é uma reivindicação antiga da AEMFLO e CDLSJ, será apresentado no dia 6 de dezembro, próxima quarta-feira, às 18h, na sede das entidades com a presença do prefeito Orvino Coelho de Ávila, vereadores e secretários municipais.

A obra toda está orçada em R$ 509 milhões: R$ 244 milhões de São José e R$ 265 milhões de Florianópolis. A futura avenida tem como proposta melhorar a mobilidade urbana, influenciar no turismo e na economia.

Inscrições gratuitas pelo link: https://bit.ly/beiramarsj

Audiência Pública

Uma coisa é certa, o deputado estadual Marquito (PSOL) gosta de uma audiência Pública. Nesta semana, na quinta-feira (7), às 19 horas, ocorre mais uma atendendo sua solicitação, desta vez, através de convocação da Comissão de Assuntos Municipais. No Plenário Deputado Paulo Stuart Wright estará aberto o debate sobre a questão de segurança nas praias de Florianópolis e do Litoral Catarinense. O foco principal é discutir casos de assédio contra mulheres nas praias de Florianópolis.

Reforço nos cofres públicos

Começou cair nas contas das prefeituras Catarinenses, assim como em todo o País, os primeiros valores dentro da ação de recomposição do Fundo de Participação dos Municípios, de acordo com a LC201/2023, aprovada pelo Congresso. Os valores que estão sendo repassados pelo governo Lula servem para recompor a queda de arrecadação de ações populistas tomadas pelo ex-presidente Bolsonaro para tentar se reeleger no ano passado, e que neste ano impactaram nas receitas de Estados e Municípios.

Valores

Aqui em Santa Catarina, todos os municípios estão recebendo valores, além do Governo do Estado. Na Região Metropolitana da Capital, esses são alguns valores que estão sendo repassados: Florianópolis (R$ 5.126.987,58); São José (R$ 2.536.204,75). Palhoça (R$ 2.536.204,75), Biguaçu (R$ 1.267.773,30), Governador Celso Ramos (R$ 487.605,11). Os valores são baseados no cálculo da Secretaria do Tesouro Nacional (dados de 29/11/2023). Os valores amenizam as contas públicas, uma vez que a estratégia do Governo Federal é de que os municípios recebam neste ano, ao menos, os mesmos valores do FPM do ano passado.


ENTREVISTA – DEPUTADO JÚLIO GARCIA

Recentemente o deputado estadual Júlio Garcia esteve em São José em um evento político. Em uma conversa aberta e franca ele falou um pouco sobre o apoio à reeleição do prefeito Orvino; relação do governo Jorginho com a Alesc e outros assuntos.

Deputado em evento de filiação do ex-vereador Tetê de Souza no PSD, acompanhado do prefeito Orvino

ADRIANO RIBEIRO – A eleição em São José deverá ser muito observada sob o aspecto da disputa entre PL e PSD, já visando 2026. Qual vai ser seu empenho aqui para ajudar o prefeito Orvino, que é um amigo e parceiro seu de longa data?

JÚLIO GARCIA – Eu acho muito cedo ainda para a gente falar em disputa de um contra o outro. Acho que é hora de construir as candidaturas e estabelecer as alianças. Mas, acima de tudo de que cada candidato e cada partido possa dizer ao eleitor o que deseja e qual seu compromisso com cada município. A eleição municipal é muito importante, por eleger os vereadores e de forma muito especial, por eleger o prefeito. Eles têm a responsabilidade de conduzir os destinos das suas cidades. São eles que ficam mais perto da sociedade e ouvem realmente a população. O Orvino é um exemplo desse político que sabe ouvir a população. São 10 mandatos de vereador, um mandato de prefeito. Cito obras extraordinárias que ele vem realizando no município e que merece concluir através de um segundo mandato. O nosso empenho e do PSD será total pela lealdade e respeito que temos pela figura do Orvino e pela gratidão por todo que ele representa para o PSD em Santa Catarina.

ADRIANO RIBEIRO – Além de São José, o PSD governa Florianópolis, através do prefeito Topázio. Recentemente teve o anúncio de uma parceria estratégia entre o NOVO e o PSD em Joinville e Blumenau. Essa aliança tem chance de reverberar aqui na Região Metropolitana?

JÚLIO GARCIA – Cada município tem a sua realidade. É preciso que a gente respeite essa realidade. Cada município tem a sua condução partidária e essa liberdade que o PSD dá, deve também ser seguida pelos demais partidos. Cada partido em cada município tem a liberdade de fazer o que melhor for para o partido, mas, de modo especial, visando o bem-estar da população. A parceria realizada com o Novo se restringe a Joinville e Blumenau. É uma parceria interessante em dois municípios importantes em SC. Mas, são situações diferentes. No caso de Joinville a parceria é a favor da reeleição do prefeito Adriano. Em Blumenau, a parceria é no sentido de compor uma chapa do Novo e do PSD para disputar a eleição. Então, cada município tem a sua realidade. A nós, do diretório estadual, sob a presidência do Eron Giordani, compete apenas fazer a supervisão e dar suporte às decisões que forem tomadas.

ADRIANO RIBEIRO – Como o senhor avalia o relacionamento do atual Governo Jorginho com a Assembleia Legislativa? Me parece que falta liderança do governo, mas os projetos estão passando e sem grandes conflitos…

JÚLIO GARCIA – O governador Jorginho Mello… se tem uma coisa que não se pode negar é que ele tem muita experiência política. Foi vereador, foi deputado estadual, foi deputado federal, foi senador da República e hoje é governador. Então, experiência política não lhe falta. O governador sabe como conduzir. O que existe na Assembleia hoje é um espírito de colaboração. Por isso o governador tem encontrado facilidade de aprovar os seus projetos. A Assembleia não é um cartório para carimbar projeto de governo, pelo contrário, nós temos dado grande contribuição no aperfeiçoamento dos projetos e essa contribuição tem sido bem recebida também pelo governo. Tem havido o diálogo político que é importante. Por isso esse clima de harmonia que se vive hoje é salutar. Como dizia o político…, que ‘briga política não constrói posto de saúde, não constrói estrada, não constrói escola…’. A união em torno de um propósito, de forma republicana e séria é que pode nos ajudar a construir uma sociedade melhor, mais humana e justa e é isso que devemos perseguir na política.

COLUNA DO WHATSAPP – Quem quiser receber esse conteúdo no whatsapp, é só clicar e ingressar no grupo: https://chat.whatsapp.com/H2w34yUIK4F7SVYj69cyZ9

ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa