Hoje é segunda-feira, 22 de julho de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
spot_img
InícioGERALPopulação pode destinar parte do Imposto de Renda, sem custo, para apoiar...

População pode destinar parte do Imposto de Renda, sem custo, para apoiar projetos sociais

A campanha da FloripAmanhã arrecadou R$2,3 milhões no ano passado, que foram destinados a projetos que apoiam crianças e idosos de Florianópolis. Mas esse valor pode melhorar muito, visto que o potencial de destinação em 2022 era de R$84, 1 milhões. Veja como ajudar, você não pagará nada a mais e nem terá sua restituição diminuída

Começou nesta quarta, 15 de março, o período para o envio da Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) 2023 à Receita Federal. E pelo terceiro ano consecutivo, a FloripAmanhã promove uma campanha, juntamente com a Prefeitura de Florianópolis, entidades empresariais, sociais e de contabilidade, para incentivar as pessoas a destinarem parte do seu Imposto de Renda (IR) a projetos sociais locais, que apoiam crianças e idosos.

O resultado do último ano foi quase o dobro de 2020, quando a campanha começou. O Fundo da Adolescência (FIA) e o Fundo do Idoso (FI) receberam, juntos, R$2,3 milhões do Imposto de Renda 2022, conforme levantamento do Sindifisco Nacional/Delegacia Sindical de Florianópolis, que reúne os auditores fiscais da Receita Federal. Houve um incremento de R$629.651,61 em comparação com o que foi destinado para ações sociais no ano anterior e mais de R$1 milhão em comparação ao primeiro ano.

Porém, esses valores ainda podem melhorar muito se as pessoas aderirem à campanha. “Estamos contentes que a cada ano que passa conseguimos incentivar mais pessoas a destinarem seu IR para fundos locais, mas ainda podemos melhorar muito, visto que o potencial de destinação em 2022 era de R$84.167.542,00 e só arrecadamos R$2.302.806,61. Se o dinheiro vai para o Governo Federal ele não volta mais, e dessa forma o dinheiro fica aqui na nossa cidade, ajudando em projetos que serão fundamentais na garantia dos direitos dos nossos idosos e crianças”, declara Salomão Mattos Sobrinho, vice-presidente do FloripAmanhã e coordenador da campanha.

Como destinar parte do Imposto de Renda a projetos sociais

Os contribuintes podem destinar para doação, diretamente em sua declaração de Imposto de Renda, até 6% do imposto devido, sendo 3% ao Fundo da Infância e Adolescência e mais 3% ao Fundo do Idoso.

São aptos a fazer essa destinação os contribuintes que apuram seu IR utilizando as deduções legais (chamado de “modelo completo”). O contribuinte deverá, ao fazer sua declaração, verificar o valor passível de destinação, e preencher o campo próprio denominado “Doações Diretamente na Declaração”. Será necessário emitir um DARF para o recolhimento do valor a ser destinado.

Para imprimir os DARFs das doações, localize o menu “Imprimir” do lado esquerdo da tela do programa da Receita e selecione a opção conforme o tipo de doação feita: “DARF – Doações Diretamente na Declaração – ECA” e/ou “DARF – Doações Diretamente na Declaração – Idoso”. O DARF deve ser pago até a data limite para entrega da Declaração.

Saliente-se que o contribuinte que fizer a destinação de parte do seu imposto para os Fundos não pagará nada a mais, nem terá sua restituição diminuída. Ele apenas permitirá que parte do seu imposto devido seja destinada diretamente para um fundo que atue em projetos de transformação social. No entanto, o contribuinte, mesmo tendo imposto a restituir, precisará recolher, através de DARF, o valor correspondente à sua doação. O referido valor será acrescentado à sua restituição, e devolvido corrigido pela taxa Selic.

As receitas desses fundos são investidas a partir da deliberação dos conselhos estaduais e municipais correspondentes, com o apoio de órgãos encarregados do planejamento e finanças do município, seguindo as regras da Lei nº 4.320/64.

Os fundos de apoio ao idoso e às crianças são geridos pelas prefeituras, e atendem as instituições que inscreveram projetos para a utilização deste benefício. Em contrapartida, as entidades devem prestar contas sobre a utilização da verba pública.

spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa