Hoje é terça-feira, 16 de julho de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
spot_img
InícioGERALPrograma Juro Zero: fomentando sonhos em Palhoça

Programa Juro Zero: fomentando sonhos em Palhoça

Primeiras cinco adesões são assinadas, beneficiando empreendedores de vários bairros.

Os cinco primeiros termos de adesão ao programa Juro Zero, articulado pela Prefeitura de Palhoça junto ao Banco do Empreendedor, foram assinados na terça-feira (6), no gabinete do prefeito Eduardo Freccia. Somente naquela semana, 17 microempreendedores individuais (MEIs) e microempresários já haviam sido aprovados na plataforma da instituição financeira para participar do programa, que deve injetar cerca de R$ 1 milhão no desenvolvimento da economia local.

Foram atendidos, nesses cinco primeiros contratos, quatro MEIs e uma microempresa de Palhoça. Os negócios contemplados estão localizados em vários bairros da cidade, como Passagem do Maciambu, Aririú, Guarda do Cubatão e Bela Vista, e representam diferentes segmentos de atuação, como marcenaria, loja de vestuário, gráfica e escritório de contabilidade.

“É um recurso barato que vai desenvolver muito a nossa economia e vai fazer com que o dinheiro gire na nossa cidade. Estamos contribuindo para que essas pessoas, que hoje possuem pequenos negócios, possam se tornar grandes empresários, potencializando cada vez mais a economia de Palhoça”, comemora o prefeito Eduardo Freccia.

O programa de fomento ao desenvolvimento econômico Juro Zero é destinado aos MEIs, aos líderes de micro e pequenas empresas, aos profissionais autônomos e aos empreendedores populares. “É um programa muito importante para gerar mais oportunidades e girar o dinheiro dentro da nossa cidade, aumentando cada vez mais nosso
ecossistema de negócios, desenvolvendo e fortalecendo a nossa economia”, argumenta a secretária de Desenvolvimento Econômico de Palhoça, Anna Paula Heiderscheidt.

O acesso ao crédito do programa está limitado a duas operações (não simultâneas) de até R$ 5 mil para MEIs e de até R$ 10 mil para microempresas, conforme as peculiaridades de cada negócio. A oferta de crédito é feita via Banco do Empreendedor.

Os empréstimos serão quitados em 12 parcelas, sendo que as duas últimas serão relativas ao valor dos juros remuneratórios das operações de crédito e serão pagas pelo município de Palhoça, caso o empreendedor tenha quitado integralmente as 10 parcelas iniciais.

“Estou com tranquilidade no meu fluxo de caixa e vou conseguir fazer os pagamentos em dia”, revela a microempresária Sirlene Wolf dos Santos, que assinou o termo de adesão na terça-feira (6). Sirlene é formada em Contabilidade há 20 anos, já trabalhou em grandes empresas e há cinco anos decidiu montar seu próprio negócio. “Eu trabalhava dentro do meu apartamento de 50 metros quadrados, fazia atendimento de cliente lá, trabalhava em cima da mesa”, relembra.

Em janeiro, mudou-se para o Bela Vista e hoje já tem seu escritório de contabilidade em um espaço apropriado; já está com a sala decorada e vai utilizar parte do valor captado para finalizar o espaço, com a compra de novos equipamentos, como computadores. “Este crédito vem a contribuir para que eu possa melhorar o atendimento do meu cliente, ter
bons equipamentos, fazer um curso de aperfeiçoamento e estar sempre à disposição”, projeta Sirlene.

“Este é o propósito e o sentido do programa, justamente abarcar projetos de vida, não apenas projetos de empresas. Que nosso programa seja um empurrão, uma semente que realmente multiplique exponencialmente os negócios dessas pessoas para que tenham sucesso e se tornem grandes empresas, geradoras de emprego. Mas acima de tudo,
ficamos felizes e orgulhosos em ver mais uma família que vai ser sustentada com seu negócio, que para a maioria das pessoas é um sonho, então é isso que a gente quer, fomentar esses sonhos”, definiu o prefeito Eduardo.

“E tem que continuar sendo um sonho, não pode virar um pesadelo. Por isso, tem que continuar investindo. Se a gente deixar de regar, ele não cresce. Então, tem que empreender”, concordou Sirlene. “E a juro zero, é uma super vantagem, então, só tenho a agradecer”, finalizou a microempresária.

A contadora Sirlene Wolf é um exemplo entre os 17 empreendedores já aprovados na plataforma do Banco do Empreendedor, que espera expandir o programa, abrigando muito mais pessoas. “Nosso objetivo é aumentar este número para que o programa flua”, declara o diretor superintendente do Banco do Empreendedor, Luiz Carlos Floriani. “É importante que as pessoas vejam que o programa está acontecendo e que é possível captar recursos a juro zero, com o apoio do município”, acrescenta a secretária Anna Paula Heiderscheidt.

Floriani diz que o Juro Zero é um “programa muito inteligente” de apoio aos pequenos negócios. O diretor superintendente orienta os interessados a procurarem o Banco do Empreendedor para fazerem a solicitação. “Este encaminhamento do acesso ao programa Juro Zero de Palhoça também pode ser jeito por uma plataforma online do Banco do
Empreendedor”, explica – a plataforma pode ser acessada no site bancodoempreendedor.org.br.

“Não tenho dúvida de que este programa faz diferença para os empreendedores, principalmente os pequenos negócios. Em um primeiro momento, a pessoa pode pensar que é ‘só’ 5 mil reais, mas as pessoas não têm ideia do quanto pode valer isso na hora de comprar estoque, de comprar uma máquina, de dar um up no negócio”, diz Floriani. “Então, para Palhoça, vai ser muito interessante e tem que aplaudir essa ação do Executivo municipal”, aplaude o diretor do banco, projetando que a instituição vá injetar R$ 1 milhão na economia do município só com este programa.

“Às vezes, é um pequeno detalhe para um investimento, uma mudança de vitrine, a compra de um maquinário, que pode ser uma mudança pequena, mas que dá um resultado muito grande”, conclui a secretária de Desenvolvimento Econômico.

spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa