Hoje é sexta-feira, 19 de julho de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
spot_img
InícioGERALAvançam as obras de melhoria no Hospital Infantil Joana de Gusmão

Avançam as obras de melhoria no Hospital Infantil Joana de Gusmão

O espaço também passará por reformas na rede elétrica, receberá nova pintura, móveis e decoração com temas infantis

As obras não param no Hospital Infantil Joana de Gusmão (HIJG). Nesta sexta-feira, 14, o secretário de estado da Saúde, Diogo Demarchi, acompanhou os trabalhos em andamento. Estão sendo feitas adequações da rede de vácuo e gases medicinais da Unidade D, a maior enfermaria do hospital, com 500 metros quadrados. Novas tubulações de oxigênio, ar comprimido e vácuo clínico foram instaladas. O espaço também passará por reformas na rede elétrica, receberá nova pintura, móveis e decoração com temas infantis. Além disso, o número de leitos será ampliado de 20 para 26.

Conforme a gerente de qualidade do hospital, Maristela Biazon, as obras de adequação na rede de gases medicinais visam atender principalmente as enfermarias das Unidades B, C, D e E, além de diminuir a sobrecarga da rede na  UTI e Centro Cirúrgico, permitindo a aplicação eficiente e com segurança, da oxigenoterapia nasal de alto fluxo. Além disso, a abertura de novas Unidades, têm possibilitado que as obras sejam executadas de forma rápida, sem prejudicar o atendimento às crianças.

“Essas enfermarias ganharão segurança para receber a terapia nasal de alto fluxo, que evita que as crianças sejam transferidas para a UTI.  Antes, elas necessitavam de cateteres de oxigênio e, posteriormente, ventilação não invasiva e intubação. Hoje, com os catéteres de alto fluxo, elas podem usar essa tecnologia na unidade de internação, fora do ambiente da UTI”, informa Maristela. A terapia é uma modalidade de suporte respiratório não invasivo, indicada para o tratamento de pacientes com bronquiolite viral aguda e outros casos de insuficiência respiratória leve a moderada.

No entanto, para garantir um tratamento eficaz, os equipamentos utilizados requerem tubulações com fluxo e pressão adequados.  “A rede antiga era subdimensionada, o que fazia cair a pressão, não suprindo as demandas. Porque essas máquinas consomem uma mistura de oxigênio e ar comprimido de cerca de 60 litros por minuto”, explica o engenheiro mecânico da unidade, Marcos Boldt.

Para adequar toda a rede, foram instalados mais de 580 metros de tubulações de cobre classe A, com 54 milímetros de diâmetro, na cobertura do hospital. Além disso,  foi construída uma nova central de gases, com 48 metros quadrados, junto ao setor de manutenção. A nova estrutura permitirá canalizar a mistura de gases das novas instalações até as enfermarias. As tubulações também foram pintadas, de acordo com as normas técnicas, para facilitar a identificação. Atualmente, parte da nova rede de tubulações de alto fluxo foi conectada à central antiga, visto que a nova ainda não está em operação. As crianças da enfermaria E, inaugurada em maio, já estão usufruindo dos benefícios dessa nova infraestrutura.

As reformas das enfermarias foram viabilizadas com recursos do Governo do Estado e doações do setor privado, por meio de ações realizadas desde 2023. Em fevereiro, a Unidade A, antiga ala psiquiátrica, foi reinaugurada com 18 novos leitos de enfermaria. Assim, foi possível deslocar pacientes para aquele espaço, iniciando os trabalhos na Unidade E e, agora, na Unidade D. A unidade E foi completamente reformada e inaugurada no final de maio, com a abertura de quatro novos leitos. Na sequência, serão reformadas as enfermarias das unidades C e B. 

spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa