Hoje é sexta-feira, 21 de junho de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
InícioGERALFaltas de pacientes prejudicam atendimentos na saúde em São José

Faltas de pacientes prejudicam atendimentos na saúde em São José

Entre janeiro e dezembro de 2022, de 1,5 milhão de consultas, exames e procedimentos agendados, 318 mil não compareceram na data agendada

A busca por aproximar e qualificar o atendimento da saúde pública tem sido uma das principais bandeiras da atual gestão da Prefeitura de São José. Em meio a tantos desafios para atender toda a demanda, inflacionados ainda mais pela pandemia, um dos graves problemas está na falta dos pacientes.  Entre janeiro e dezembro de 2022, de 1,5 milhão de consultas, exames e procedimentos agendados, 318 mil pacientes não compareceram na data agendada.

De acordo com a equipe técnica da Secretaria de Saúde, em média 35% dos pacientes faltam e não avisam antecipadamente. Em alguns casos, o usuário é agendado brevemente, de acordo com a sua condição clínica, porém não comparece ao atendimento, sem um aviso prévio e acaba ocasionando a perda dessa vaga.

As vagas ocupadas por pacientes que não comparecem impossibilitam o reaproveitamento das mesmas, deixando o profissional ocioso. Além disso também gera o aumento da fila, pois usuário retorna ao sistema para um novo agendamento.

Números

Para se ter ideia do tamanho do problema em números absolutos, na Atenção Básica foram ofertadas 636,3 mil consultas, destas 41,7 mil não compareceram. Já na Média Complexidade, foram agendadas 58 mil consultas e 1,4 milhão de procedimentos (e exames), porém faltaram respectivamente 18 mil nas consultas e 300 mil nos procedimentos e exames.

Esses números expressivos representam a média de faltas, em torno de 35%. Somente nas consultas de fisioterapia o índice contabilizou 86%. No raio x odontológico teve 71% de faltas, na colonoscopia 31% e nas consultas em nutrição 64%, em 2022. Já nas Mamografias, exame de grande importância na identificação de lesões cancerígenas, a falta foi de 36% e nas tomografias 47%.

spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa