Hoje é domingo, 23 de junho de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
InícioColuna da AMPEColuna da AMPE edição de 31 de janeiro de 2023

Coluna da AMPE edição de 31 de janeiro de 2023

Veja abaixo os principais assuntos da Coluna da Ampe, publicada quinzenalmente numa parceria da Ampe da Região Metropolitana de Florianópolis, com o jornal Informe Negócios

Ampe faz parceria com empresa que apresenta soluções robotizadas para gestão

A Ampe Metropolitana oferece mais um serviço aos associados, a partir da nova parceria com a Control, empresa de tecnologia inovadora voltada para o desenvolvimento de aplicações robotizados que garantem alta produtividade, eficiência e economia para empresas de todos os tamanhos.

Veja quais são os benefícios:

  • Gestão robótica automatizada dos documentos recorrentes do contas a pagar (Utilities).
  • Paperlass (papel zero), respeitando os princípios do ESG – Environmental, Social and Governance, que corresponde às práticas ambientais, sociais e de governança de uma organizaçã
  • Garantia de entrega de documentos legais (o bot identifica documentos fraudados).
  • Entrega do documento em tempo hábil para pagamentos, evitando multas por atraso.
  • Otimiza a gestão, eliminando processos manuais e levando a organização para processos da indústria 4.0.
  • Tempo do colaborador voltado a tarefas mais estratégicas.
  • Melhora o cálculo de ROI.

Procure a Ampe para mais informações: (48) 3259-4800.

Conheça quatro pontos para melhorar políticas públicas voltadas aos pequenos negócios

Os pequenos negócios, que em 2022 chegaram ao número de 20,6 milhões no país, são responsáveis por 30% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo dados do Sebrae. Além disso, os Microempreendedores Individuais (MEI), Microempresas (ME) e Empresas de Pequeno Porte, que representam atualmente 99% de todas as empresas do Brasil, foram responsáveis pela criação de 72% dos empregos criados no país durante o primeiro semestre de 2022.

Uma das primeiras medidas do novo governo foi a recriação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, que agora é o responsável pela Secretaria da Micro e Pequena Empresa e Empreendedorismo. Para um maior incentivo ao segmento, veja quatro pontos centrais a serem considerados pelo governo.

  1. Política pública de crédito para o setor

Necessidade de o Pronampe contar com recursos permanentes. Hoje os recursos são do orçamento extraordinário e começarão a ser devolvidos a partir de 2025.

Entre as propostas, estão a segmentação do Pronampe, de forma a não deixar na mesma cesta os empreendedores de portes diferentes, e criar uma espécie de “Plano MPE” que, à semelhança do “Plano Safra”, ofereça funding para créditos subsidiados pelo menos para as microempresas, com juros equalizados.

  1. Simplificação tributária

No Congresso, há projetos voltados que podem ajudar a enfrentar essa questão, como o PLP 127/2021, que aumenta as margens para enquadramento no Simples Nacional e dá liberdade para os estados escolherem os limites do ICMS, e a PEC 110/2019, que simplifica os impostos sobre o consumo. Para o gerente de Políticas Públicas do Sebrae Nacional, Silas Santiago, mais importante do que o aumento do limite é a diminuição do imposto inflacionário que os pequenos negócios pagam sem a correção da tabela do Simples.

Há expectativa sobre uma possível reforma tributária, que poderia incluir um tributo único de circulação de mercadorias e serviços para simplificar o sistema. Também é importante diminuir a burocracia para abertura e fechamento de negócios. A Ampe Metropolitana ressalta o respeito ao tratamento diferenciado dado aos pequenos negócios, garantido pela Constituição.

  1. Aumento dos limites de faturamento e de contratação de funcionários para os MEI

Os novos tetos de faturamento anual pleiteados são: MEI – R$ 144 mil; ME – R$ 869 mil ; EPP – R$ 8,6 milhões, e são apenas a correção pela inflação, já que não houve nenhuma alteração ou ajuste desde 2006. Outro ponto previsto é a liberação de contratação de dois funcionários para cada MEI. Hoje, um microempreendedor individual só pode contratar um empregado.

  1. Melhorar o ambiente de negócios

(Com informações do portal Jota)

Manifesto de entidades protesta contra problemas do Novo Sistema Tributário de Florianópolis

A Ampe Metropolitana assinou, ao lado de outras entidades, o Manifesto elaborado pelo SESCON Grande Florianópolis para expor o descontentamento com a atualização do Novo Sistema Tributário implantado pela prefeitura de Florianópolis.

A mudança do sistema Softplan para o sistema Betha iniciou em setembro do ano passado. Ficou acordado que no dia 05 de outubro de 2022 estaria funcionando na sua plenitude, e assim foi informado para os associados e profissionais da contabilidade da Grande Florianópolis. No entanto, desde então, foram observados os seguintes problemas: na operacionalização do sistema; na emissão de taxas e licenciamentos; geração de alvarás; pagamentos de boletos e emissão de notas fiscais; na autenticação de certificado digital; inconsistência no sistema Sefinnet; falta da emissão de certidão negativa e segunda via; no parcelamento, envio e importação de GIF-PF, GIF-PJ-SS, DES-SP; canais de informação inacessíveis.

De acordo com o Manifesto, “até o presente momento, o profissional contábil é o principal agente penalizado com as alterações e integrações do novo Sistema Tributário em Florianópolis”. Por isso, solicita explicações plausíveis para a categoria, o imediato reparo dos problemas citados, a ampliação de prazos de vencimento dos tributos, da entrega das declarações acessórias e um estreito canal de atendimento para a categoria contábil.

A Ampe Metropolitana participou da primeira reunião do Comitê de Ambiente Empresarial de Biguaçu que planeja o desenvolvimento para os próximos 20 anos. O foco da entidade é apresentar propostas de apoio às Micro e Pequenas Empresas e Microempreendedores Individuais.
spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa