Hoje é segunda-feira, 22 de julho de 2024
Coluna da UNIMED
Coluna da AMPE
Coluna do Adriano
Publicações Legais
spot_img
InícioGERALSorria, São José: programa entregou mais de 700 próteses em dois anos

Sorria, São José: programa entregou mais de 700 próteses em dois anos

Mais de 2,5 mil consultas já foram realizadas, desde agosto de 2022

Por meio do programa “Sorria, São José”, a Prefeitura já ofertou 2,5 mil consultas, resultando na entrega de mais de 700 unidades de próteses dentárias totais, em dois anos de atuação. Conduzido pela Secretaria de Saúde, o programa ampliou a oferta de procedimentos odontológicos em agosto de 2022. Os Laboratórios de Próteses Dentárias (LPD) integram o “Brasil Sorridente”, parceria do Município com o governo federal, e estão localizados na Policlínica de Campinas e na Unidade Básica de Saúde (UBS) de Serraria. Os interessados em participar do programa devem procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) do seu bairro, para solicitar o encaminhamento após consulta com o dentista.

Após o encaminhamento, os casos serão analisados pela equipe da Diretoria de Regulação, Controle e Avaliação (SISREG). São necessárias em média quatro consultas, entre moldagem, prova, adaptação e ajustes, com o cirurgião dentista especialista até a entrega final da prótese dentária. Após a consulta inicial, o usuário recebe consultas semanais, levando em média um mês para a finalização do procedimento. A parte laboratorial do processo de confecção das próteses é realizada por um prestador credenciado.

As próteses são fundamentais para devolver as funções mastigatórias, melhorar a digestão dos alimentos, a estética e até a dicção. “Esse é um serviço de extrema importância para a nossa rede, pois o acesso às próteses eleva a qualidade de vida e a autoestima dos pacientes que, por algum motivo, perderam seus dentes; além de serem importantes na prevenção de outros agravos de saúde relacionados às infecções orais”, observou a secretária de Saúde, Sinara Simioni.

Três anos é o tempo ideal para a pessoa refazer a prótese. “O paciente precisa fazer a troca quando ela está muito instável, fraturada por algum motivo ou com os dentes muito desgastados. Sendo assim, a recomendação é que seja agendado um retorno anual ao dentista, para verificar a necessidade ou não de readaptação da prótese”, explicou Cláudia Helena Tonon, cirurgiã dentista, especialista em Prótese Dentária.

De acordo com a gerente de Saúde Bucal, Muryel Fontoura Souto, com base nos estudos epidemiológicos, estima-se que 22% da população tenha necessidade de uma ou duas próteses totais na região sul do Brasil. “Em São José, foram beneficiadas em torno de 360 pessoas com as próteses totais, ofertadas pelo nosso Município, nos dois anos de atuação”.

spot_img
ARTIGOS RELACIONADOS
Publicidadespot_img
Publicidadespot_img

Últimas do Informe Floripa